Cantão suíço aprova proibição do véu integral em caso de ameaça para a segurança pública

Os opositores à iniciativa popular denunciaram que se tratava de uma lei inútil, já que praticamente não há mulheres em St Gallen que andam pela rua com o rosto coberto.

Cantão suíço aprova proibição do véu integral em caso de ameaça para a segurança pública

Os eleitores do cantão suíço de St. Gallen aprovaram neste domingo em referendo a proibição do uso do véu integral, se representar uma ameaça para a segurança. Com este voto, St. Gallen é agora o segundo cantão suíço a tomar uma decisão deste tipo, depois do cantão de Tessino.

No total, 66% dos eleitores votaram por uma lei que estabelece sanções contra qualquer pessoa que esconda o rosto num lugar público, sempre e quando isto ameace a segurança - uma condição que vai ter de ser interpretada caso a caso pelos corpos de segurança.

Os opositores à iniciativa popular denunciaram que se tratava de uma lei inútil, já que praticamente não há mulheres em St Gallen que andam pela rua com o rosto coberto.

Além disso, lembraram que já existe uma lei neste cantão que proíbe esconder o rosto em manifestações públicas que requerem autorização e eventos desportivos.

O governo do cantão também se posicionou contra a iniciativa, indicando que tal proibição afetava direitos fundamentais, sem que exista por outro lado algum interesse público.

No caso do cantão do Tessino, a proibição é mais ampla e só são autorizadas exceções por questões de segurança ou durante eventos religiosos e tradicionais.

No entanto, a aplicação da lei lá em Tessino praticamente não derivou em multas para mulheres que usam vestimentas que cobrem o rosto, mas sobretudo para adeptos de futebol.



Notícias relacionadas