Uma empresa suíça exportou material químico proibido para a Síria

A televisão pública suíça publicou uma notícia detalhada sobre este tema.

959350
Uma empresa suíça exportou material químico proibido para a Síria

Uma empresa suíça exportou 5 toneladas de isopropanol para a Síria - usado na produção de gás sarin - com autorização oficial.

Segundo uma notícia publicada pela Televisão Pública da Suíça (RTS), uma empresa suíça exportou isopropanol para a Síria, 6 meses depois da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPCW) ter eliminado 133 toneladas de isopropanol na Síria, em maio de 2 014.

A notícia destacou que esta venda de 5 toneladas de isopropanol – usado na produção de gás sarin – se realizou sem qualquer obstáculo legal.

Uma declaração enviada à RTS pela Secretaria de Estado da Economia da Suíça (SECO), confirmou a exportação de material proibido para a Síria. Segundo a SECO, o comprador sírio foi uma “empresa farmacêutica privada”, e que nem naquela época nem agora se conhecem ligações desta empresa com o regime de Assad.

A Suíça respeita as sanções aplicadas pelos países europeus à Síria, mas em 2 014 não colocou obstáculos à exportação de isopropanol. As autoridades suíças dizem que atualmente esta exportação não seria possível, devido aos ataques químicos do regime sírio.

A Comissão de Políticas de Segurança do Senado da Suíça já pediu o esclarecimento de todas as dimensões desta exportação de material químico proibido.



Notícias relacionadas