“As eleições do lado greco-cipriota ameaçam as negociações de Chipre”

Os peritos de relações internacionais analisam as negociações sobre o futuro da ilha.

“As eleições do lado greco-cipriota ameaçam as negociações de Chipre”

Os peritos consideram que as eleições em Chipre do Sul, agendadas para fevereiro de 2 018, influem negativamente no processo de negociações iniciado há 2 anos.

O professor Ahmet Sozen – académico do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Mediterrâneo Oriental (DAU), indicou que o líder greco-cipriota, Nikolas Anastisiadis, se afasta do objetivo de encontrar uma solução devido à proximidade das eleições.

“Anastasiadis desvia-se do seu caminho por causa das eleições de fevereiro de 2 018” – afirmou Sozen - que acrescentou ainda “o líder greco-cipriota tenta responsabilizar o lado turco-cipriota pelo fracasso e está concentrado na sua campanha eleitoral”.

O professor Ata Atun da Universidade do Próximo Oriente (YDU), considera que o lado greco-cipriota perturba as negociações: “Anastasiadis segue há um mês e meio o que dizem os eleitores e isso afeta o processo de negociações”.

As sondagens indicam que os greco-cipriotas não têm esperança de que seja encontrada uma solução para a ilha este ano.

“62% dos cidadãos responderam negativamente à pergunta sobre a possibilidade de acordo na ilha em 2 017. Apenas 11% se mostram otimistas sobre uma solução”.



Notícias relacionadas