Gabinete da Escócia concorda em "proteger" seu lugar dentro da EU

Mais de 1,4 milhões de cidadãos britânicos insatisfeitos com resultado da votação assinaram uma petição online pedindo um segundo referendo

Gabinete da Escócia concorda em "proteger" seu lugar dentro da EU

O governo escocês quer entrar em discussões imediatas com a UE para proteger o lugar da Escócia dentro do bloco, anunciou o Primeiro Ministro da Escócia, Nicola Sturgeon, neste sábado.

 

O anúncio vem após a votação histórica da Grã-Bretanha sobre sua saída da UE.

 

O governo escocês realizou uma reunião de emergência após a votação que provocou inquietação entre os eleitores escoceses, cuja maioria votaram para permanecer na UE.

 

Em comentários na televisão após a reunião, Sturgeon expressou "decepção" do Gabinete com o resultado do referendo.

 

Quase 52 por cento dos eleitores do Reino Unido optaram por deixar a UE no referendo de quinta-feira, mas 62 por cento dos escoceses votaram para permanecer dentro do bloco.

 

A taxa de participação no referendo foi de 72 por cento, o que é a mais alta participação dos eleitores já registrada em quase 25 anos.

 

A Grã-Bretanha realizou o referendo da UE na quinta-feira para decidir sobre a futura relação do país com a UE.

 

Depois que os resultados foram divulgados, o primeiro-ministro David Cameron anunciou sua renúncia, dizendo que o país precisava de uma "liderança forte" para conduzir as negociações de saída da UE.



Notícias relacionadas