Escolas francesas demitem 27 funcionários por acusações de abuso infantil

Membros de várias escolas na França estão enfrentando acusações de abuso infantil.

Escolas francesas demitem 27 funcionários por acusações de abuso infantil

Vinte e sete membros de equipe em várias escolas francesas e escolas secundárias foram demitidos em 2015 devido as acusações relacionadas com pedofilia, disse o ministro da Educação, Najat Vallaud-Belkacem na quarta-feira.

O ministro disse que a maioria das pessoas são do sexo masculino, sem especificar o papel exato que tinham nas instituições ou quando as infrações aconteceram.

A França assistiu a casos semelhantes no passado. Um diretor, anteriormente condenado por pornografia infantil ainda estava trabalhando em uma escola e foi acusado de estupro agravado de vários alunos.

De acordo com um estudo recente, 19 funcionários de escolas e escolas primárias e de ensino médio foram despedidos em 2014 e 26 membros, em 2013 sobre o mesmo assunto e 15 em 2012.

"Acreditamos que um professor ou um adulto, ou um agente administrativo em contato com as crianças não pode trabalhar com as crianças, logo que ele foi condenado por crimes tão graves como a pedofilia ou pornografia infantil", disse Vallaud-Belkacem, à rádio RTL.

Uma legislação obrigando o Ministério da Justiça a manter as autoridades de educação atualizado sobre o histórico dos funcionários será usada em breve, quando o Ministério da Educação será capaz de investigar os registros criminais dos professores.

"Vai levar cerca de um ano para sermos capazes de verificar cerca de 3.000 arquivos todos os dias", disse Vallaud-Belkacem. "Cada caso será verificado para ver se, no passado, perdemos algumas condenações."

O ministro também se refere ao envolvimento da Igreja Católica francesa em casos de abuso infantil.

O Cardeal Philippe Barbarin, disse nesta quarta-feira que ele nunca encobertou tais casos.

"Quer se trate de escola ou igreja, eu tenho um princípio simples", disse Vallaud-Belkacem.

"A pedofilia é algo extremamente grave que destrói vidas. O princípio é não silenciar, a transparência total. Aqueles que pensam que as coisas podem ser resolvidas internamente ou podem permanecer em silêncio estão cometendo um grave erro. Eu serei firme e sanções serão emitidas quando necessário. Estou esperando o mesmo de todas as instituições ".

Fonte: TRTWorld e agências



Notícias relacionadas