Merkel quer limitar a entrada de refugiados após críticas

Merkel quer silenciar os críticos em seu próprio partido político CDU, ao anunciar no congresso do partido que vai reduzir o influxo de refugiados.

Merkel quer limitar a entrada de refugiados após críticas

A chanceler alemã Angela Merkel quer reduzir o influxo de refugiados em seu país para silenciar as crescentes vozes conservadoras na véspera de um congresso do partido, disse na noite de domingo na emissora regional de serviço público ARD da Alemanha.

A União Democrata-Cristã (CDU) expressa seu descontentamento sobre a política de portas abertas de Merkel para os refugiados, que ela deseja "diminuir drasticamente" o número.

No congresso do partido CDU, pelo menos, 1.000 delegados vão ouvir Merkel em suas estratégias e suas medidas para reduzir o número de refugiados.

"Todos da Alemanha estão a debater estas questões. Mas para mim é muito importante dizer que nós iremos viver de acordo com a nossa responsabilidade humanitária, e a nossa responsabilidade pela Europa", disse Merkel em um canal de TV.

A Alemanha anunciou em setembro que o país irá receber temporariamente um milhão de refugiados em 2015.

"Ao mesmo tempo nós levamos em conta as preocupações das pessoas, que estão preocupadas com o futuro, e isso significa que queremos reduzir, queremos diminuir drasticamente o número de pessoas que estão vindo até nós", disse Merkel.

Merkel em sua entrevista também disse que a limitação dos refugiados não reflete a principal resolução do CDU que será debatida na segunda-feira no congresso do partido.

Ela disse que, junto ao descontentamento, houve amplo apoio de sua estratégia que visa reduzir os números de refugiados.
Em sua estratégia de Merkel está a trabalhar com a Turquia contra traficantes de seres humanos e na melhora da situação nos campos de refugiados sírios na Turquia, Líbano e Jordânia.

Um outro lado de sua estratégia, Merkel quer reduzir os números devido as eleições estaduais na Alemanha, que serão realizadas em Março, na qual ela deseja concorrer para o quarto mandato em 2017, que poderia estar em perigo.

Merkel também tem o objetivo de acalmar outros Estados membros da União Europeia, que enfrentam dura resistência a um sistema de quotas para influxo de refugiados.


Fonte: TRTWorld e agências


Etiquetas:

Notícias relacionadas