ONU: a recuperação da economia na América Latina será "lenta e desigual"

O progresso da economia regional pode aumentar em 1,3% durante 2020 e 2% em 2021

ONU: a recuperação da economia na América Latina será "lenta e desigual"

AA - O Departamento de Assuntos Econômicos da ONU (DAES) afirmou que na América Latina e no Caribe as previsões de crescimento econômico "permanecem fracas" devido a "condições externas difíceis e grande incerteza política".

Assim, espera-se uma recuperação "lenta e desigual" nos próximos dois anos, após um crescimento de 0,1% em 2019. 

O progresso pode aumentar em 1,3% em 2020 e 2% em 2021.

“A atividade econômica será apoiada por uma política monetária abrangente e uma recuperação da demanda doméstica no Brasil e no México. Mas mesmo essa recuperação modesta estaria sujeita a riscos significativos, como deterioração do comércio mundial, volatilidade financeira renovada e maior incerteza política ”, afirmou o relatório.

O documento acrescentou que a renda per capita do ano passado estagnou ou declinou em muitas economias da região, incluindo Argentina, Brasil e México, e que o atual Produto Interno Bruto (PIB) médio per capita é de 4% inferior a 2014.

"Entre uma renda média mais baixa e uma desigualdade persistentemente alta, os níveis de pobreza aumentaram (na região)", explicou o relatório.

“As perspectivas iniciais para este ano na América do Sul prevê um terceiro ano de recessão, embora em um ritmo mais lento do que em 2019, enquanto na América Central e no México é esperada uma lenta recuperação da atividade econômica, após o crescimento ter atingido seu ponto mais baixo nos últimos dez anos em 2019 ”, concluiu o estudo.



Notícias relacionadas