Estados Unidos retiram a China da lista de países que manipulam moedas

A medida de Washington ocorre apenas dois dias antes que altos funcionários assinem a primeira parte de um acordo para encerrar a guerra comercial entre as duas nações.

Estados Unidos retiram a China da lista de países que manipulam moedas

O Departamento do Tesouro na segunda-feira eliminou a China de uma lista de países que considera manipuladores de moeda, em meio a uma tentativa das duas potências econômicas de encerrar a guerra comercial.

Em seu relatório semestral sobre as políticas macroeconômicas e cambiais dos principais parceiros comerciais dos EUA, o Tesouro concluiu que "nenhum grande parceiro comercial dos EUA" poderia ser considerado um manipulador de moedas no momento.

A decisão foi tomada quando os negociadores comerciais dos Estados Unidos e China se reunirão na quarta-feira para assinar um acordo de "primeira fase" em Washington, com o objetivo de encerrar uma guerra comercial que viu as duas maiores economias do mundo impor tarifas. a uma gama de produtos.

Em comunicado, o secretário do Tesouro Steven Mnuchin disse que Pequim tomou medidas para parar de desvalorizar artificialmente sua moeda, o yuan, que tornou suas exportações mais baratas e, portanto, prejudicou os fabricantes rivais.

"O Departamento do Tesouro ajudou a garantir um importante acordo da Fase 1 com a China, que levará a um maior crescimento econômico e oportunidades para trabalhadores e empresas americanas", disse Mnuchin.

"A China assumiu compromissos obrigatórios de abster-se de desvalorização competitiva e, ao mesmo tempo, promove transparência e responsabilidade".

Em vez de ser tratada como manipuladora de moedas, a China agora está em uma "lista de monitoramento" de parceiros comerciais dos EUA que "merecem muita atenção". A lista inclui Alemanha, Irlanda, Itália, Japão, Coréia do Sul, Malásia, Cingapura, Suíça e Vietnã.



Notícias relacionadas