Alemanha deve registrar o maior excedente do mundo pela quarta vez consecutiva

O Ministério de Assuntos Econômicos e Energia da Alemanha informou que "atualmente não se espera recessão mais forte ou mesmo pronunciada" no país.

Alemanha deve registrar o maior excedente do mundo pela quarta vez consecutiva

AA - A Alemanha deve registrar o maior superávit do mundo pela quarta vez consecutiva em 2019, de acordo com o Instituto Alemão de Estudos Econômicos IFO (Information und Forschung, informação e pesquisa), com sede na cidade de Munique.

Segundo o relatório, o superávit da Alemanha deve ser de US $ 276.000 milhões. Isso seria seguido pelo Japão, com US $ 188.000 milhões e pela China, com US $ 182.000 milhões.

Pelo contrário, os Estados Unidos devem ter um déficit de US $ 480.000 milhões, o maior do mundo, apesar da "guerra comercial" de seu presidente, Donald Trump, contra a China e das tarifas adicionais impostas aos produtos importados da China.

O superávit na Alemanha é atribuída ao do fato de que essa exportação mais produtos e serviços do que importa.

O desequilíbrio comercial entre os Estados Unidos e a Alemanha, a favor disso, levou Trump a ameaçar a Alemanha com a imposição de tarifas extras aos carros importados do país alemão.

A União Européia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) também criticaram o superávit da Alemanha. A Comissão Europeia considera que um excedente não superior a 6% do Produto Interno Bruto (PIB) é adequado.

Em 2015, o superávit da Alemanha atingiu 8,5% de seu PIB, enquanto este ano o IFO espera que não exceda 7,1%.

Por seu lado, o Ministério de Assuntos Econômicos e Energia da Alemanha confirmou, por meio de comunicado, que a economia do país estava passando por uma fase de fraqueza.

Não obstante, o ministério observou que "nenhuma recessão mais forte ou mesmo pronunciada é atualmente esperada".

O ministério culpou o "sofrimento" da indústria alemã, orientado para as exportações, o "declínio do comércio mundial" e a "estagnação das tendências industriais mundiais".

Após um “bom começo” no início do ano, com um aumento do PIB de 0,4%, a economia do país alemão conseguiu crescer apenas 0,1% durante o segundo trimestre de 2019.

* Traduzido por Daniel Gallego.



Notícias relacionadas