México celebra acordo comercial com os EUA e prioriza a integração do Canadá

É um acordo que, também acaba diluindo um dos fatores apontados pelos analistas como fonte de incerteza para o desenvolvimento da economia mexicana.

México celebra acordo comercial com os EUA e prioriza a integração do Canadá

México (EFE) .- O acordo comercial anunciado entre o México e os Estados Unidos foi recebido com entusiasmo pelo país latino-americano, que, no entanto, interpôs como "prioridade" a soma do Canadá para a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte ( NAFTA) dá como resultado um pacto trilateral.

O Governo de Enrique Peña Nieto, que entregará o cargo a Andrés Manuel López Obrador no dia 1º de dezembro, expressou seu alívio ao fechar um tratado que protege, em qualquer cenário, o relacionamento com seu principal parceiro.

É um acordo que, também acaba diluindo um dos fatores apontados pelos analistas como fonte de incerteza para o desenvolvimento da economia mexicana.

"As diferenças que estavam nessa negociação com os Estados Unidos foram superadas", disse Peña Nieto em uma cerimônia oficial realizada na capital mexicana, depois que seu colega norte-americano, Donald Trump, anunciaram que chegaram a um acordo bilateral.

No entanto, este acordo, descrito pelo presidente como "ganha-ganha", não é um ponto final para o México, uma vez que busca fechar o acordo que inclui o terceiro parceiro do NAFTA, o Canadá, nos próximos dias que não participou das últimas conversas realizadas por seus parceiros.

Desde antes do anúncio do acordo bilateral, Peña Nieto insistiu na importância de incorporar o Canadá e, nesse sentido, teve lugar a conversa telefônica que teve com o primeiro-ministro daquele país, Justin Trudeau.

"Expressei a importância de sua reincorporação ao processo, com o objetivo de concluir uma negociação trilateral nesta semana", afirmou o presidente mexicano em suas redes sociais.

Então, em sua conversa com Trump, que poderia ser acompanhada ao vivo do Salão Oval graças a um alto-falante, Peña Nieto insistiu várias vezes na incorporação do terceiro parceiro. Durante toda a renegociação do tratado, lembrou, buscar "finalizar um acordo que fosse para o benefício das três partes".



Notícias relacionadas