Palestina pediu ao Atlético de Madrid para que não jogue contra uma equipa israelita em Jerusalém

Está agendado um jogo de futebol entre o Atlético de Madrid e o Beitar Jerusalém de Israel, conhecido por ser um clube racista.

Palestina pediu ao Atlético de Madrid para que não jogue contra uma equipa israelita em Jerusalém

O presidente da Federação de Futebol da Palestina, Jibril er-Racub, pediu à equipa espanhola do Atlético de Madrid para que cancele o jogo que tem planeado contra o Beitar Jerusalém de Israel, uma partida que está agendada para o dia 21 de maio em Jerusalém.

A Federação Palestiniana de Futebol emitiu uma declaração escrita acerca deste assunto onde diz o seguinte: “Não estamos contra a realização de um jogo em Israel, mas tal não deverá acontecer em Jerusalém, um território sob ocupação”.

Racub acrescentou que é preciso ter cuidado com o estatuto do território ocupado de Jerusalém e que o Atlético de Madrid deve estar consciente de que irá defrontar um clube racista de primeiro grau, algo que vai contra o espírito do futebol.

“Israel politiza o futebol e usa este desporto como um instrumento para normalizar a anexação de Jerusalém, violando de forma explícita as normas internacionais que dizem que Jerusalém deve estar sob a administração internacional” – escreveu Racub – que defendeu também que a realização deste jogo em Jerusalém vai contra as decisões internacionais e contra as regras da União Internacional de Federações de Futebol (FIFA).

Para protestar contra o agendamento deste jogo em Jerusalém, Racub enviou mensagens de protesto à Federação de Futebol de Espanha e a várias federações de futebol da Europa e de países árabes, bem como à União de Solidariedade Islâmica, ao Comité Olímpico Internacional e a outras entidades relevantes. A Federação Palestiniana de Futebol quer que seja alterado o local da partida e exige que o desporto seja deixado de fora da política.

A 24 de agosto de 2 018, a FIFA suspendeu Racub durante 12 meses por “violência e provocação do ódio”, tendo também multado o presidente da Federação Palestiniana de Futebol no valor de 20 mil francos suíços.



Notícias relacionadas