Países asiáticos se preparam para o início do Ano Novo Chinês

Em Singapura, ninguém pode aceitar mais de oito hóspedes por dia, nem mais de duas casas podem ser visitadas

1581981
Países asiáticos se preparam para o início do Ano Novo Chinês

AA - Países vizinhos da China se preparam para o deslocamento massivo de residentes chineses por ocasião do fim do "ano do rato" e início do "ano do búfalo" em 12 de fevereiro, segundo calendário chinês de 12 animais e marcada pela pandemia de COVID-19.

Centenas de milhões de pessoas migram para as estações de trem e ônibus para voltar às suas cidades natais para celebrar o Ano Novo em família.

A cada ano, o número de viagens domésticas aumenta em média 200 milhões nesse período.

Na Indonésia, as autoridades impuseram restrições aos rituais nos templos por ocasião do Ano Novo Chinês e será obrigatório usar máscara médica e manter o distanciamento social.

Da mesma forma, as autoridades solicitaram que as celebrações ocorressem em casa e que as reuniões familiares fossem realizadas online.

As autoridades também pediram aos funcionários de empresas públicas e privadas que não viajassem.

Os oficiais de trânsito conduzirão testes rápidos para COVID-19 nas estradas durante a festa, a fim de reduzir infecções.

A Malásia não permitirá encontros de mais de 15 pessoas durante o Ano Novo Chinês e manterá um toque de recolher até 18 de fevereiro, proibindo viagens entre estados.

Os templos permanecerão abertos, mas não mais do que 30 pessoas serão permitidas ao mesmo tempo e medidas preventivas contra COVID-19 serão aplicadas.

Todas as outras atividades e shows serão cancelados.

Em Singapura, ninguém pode aceitar mais de oito hóspedes por dia, nem pode-se visitar mais de duas casas.

Restaurantes e lanchonetes só poderão aceitar um número restrito de clientes, enquanto os proprietários das instalações deverão implementar protocolos sanitários.

Na Tailândia, as autoridades aconselham as famílias a evitar o contato físico e a se encontrarem online. Da mesma forma, eles exortam os cidadãos a cumprir os regulamentos de saúde para reduzir a disseminação do coronavírus.

Na Coreia do Sul, as autoridades destacaram a importância da implementação de medidas preventivas, especialmente em restaurantes e cafés.



Notícias relacionadas