Egito vai tomar medidas legais devido ao leilão de um busto de Tutancâmon

O Comitê Nacional para Recuperar as Antiguidades do Egito reuniu-se sob a presidência do Ministro de Antiguidades Khaled Al Anani na capital do Cairo

Egito vai tomar medidas legais devido ao leilão de um busto de Tutancâmon

O Egito reagiu ao governo britânico por não ter impedido a venda de um busto de ouro do faraó Tutancâmon, que governou entre 1334 e 1325 a.C.

O Comitê Nacional para Recuperar Antiguidades reuniu-se sob a presidência do Ministro de Antigüidades Khaled Al Anani, na capital do Cairo.

Na reunião, o leilão realizado no Reino Unido e o procedimento sobre o assunto foram avaliados. O ex-ministro de Antiguidades Zahi Hawass, bem como as autoridades dos ministérios das Relações Exteriores, do Interior e da Justiça também estiveram presentes no encontro.

Em uma declaração por escrito após a reunião, foi dito que parece estranho que a administração britânica não tenha dado o apoio esperado para que o busto de ouro não fosse vendido.

Decidiu-se comissionar uma firma de advocacia no Reino Unido para tomar todas as medidas legais necessárias para registrar uma queixa.

A casa de leilões Christie's anunciou em 4 de junho em seu site que o busto de ouro do Faraó Tutancâmon foi vendido por cerca de 6 milhões de dólares em um leilão na capital britânica de Londres.



Notícias relacionadas