Funcionário do Facebook no Canadá aponta que a plataforma pode alimentar o ódio

Kevin Chan disse que a empresa tomou medidas depois que sua plataforma foi usada para estimular a violência contra os Rohingya na Birmânia.

Funcionário do Facebook no Canadá aponta que a plataforma pode alimentar o ódio

Kevin Chan, chefe global do Facebook Canadá, disse na quinta-feira que o gigante das mídias sociais sabia que em 2018 sua plataforma estava sendo usada para estimular a violência e incitar o ódio, inclusive contra a minoria muçulmana Rohingya na Birmânia.

Chan testemunhou perante o Comitê Canadense de Justiça sobre o ódio na internet e pontuou que o Facebook provavelmente desempenhou um papel nos ataques suicidas no dia de Páscoa no Sri Lanka.

"Com relação à tragédia no Sri Lanka, sabemos que o uso indevido e o abuso de nossa plataforma podem aumentar as tensões étnicas e religiosas subjacentes e contribuir para danos fora da rede em algumas partes do mundo", disse Chen, acrescentando que Isso é especialmente verdadeiro em nações como o Sri Lanka, onde muitas pessoas estão usando a Internet pela primeira vez em suas vidas e as redes sociais podem ser usadas para espalhar o ódio e alimentar as tensões entre grupos étnicos.

O funcionário afirmou que o Facebook aprendeu as lições da violência na Birmânia (também conhecida como Mianmar), onde a empresa admitiu em novembro de 2018 que a rede social foi usada para alimentar o ódio contra a minoria muçulmana Rohingya.

Em uma tentativa de impedir o abuso da plataforma, Chan disse que o Facebook reforçou suas equipes de revisão de conteúdo e está "investindo em tecnologia e programas em lugares onde identificamos maiores riscos de conteúdo e estamos tomando medidas para avançar".

* Juan Felipe Vélez contribuiu com a redação desta nota.



Notícias relacionadas