Decretam o toque de recolher em Santiago do Chile devido aos distúrbios intermináveis

Apesar do toque de recolher, os protestos continuam e atearam fogo no escritório do jornal El Mercurio, em Valparaíso

Decretam o toque de recolher em Santiago do Chile devido aos distúrbios intermináveis

O toque de recolher total em Santiago do Chile foi decretado devido o aumento das manifestações em andamento desde a última quinta-feira contra o aumento dos bilhetes de transporte público.

Em Valparaíso e Concepción foi decretado o "estado de emergência".

O general Javier Iturriaga, responsável pela segurança durante o estado de emergência, decretou o toque de recolher nas cidades de Santiago do Chile, Chacabuco e nas cidades de San Bernardo e Puente Alto, pela persistência dos tumultos e saques causados pelo aumento nas passagens de metrô.

Pela primeira vez no Chile desde a derrota do ditador Augusto Pinochet, o estado de emergência é decretado e a segurança é entregue ao exército.

Por outro lado, as manifestações e saques continuam em várias regiões do país, apesar do toque de recolher e do estado de emergência.

A rede de supermercados Walmart informou que 60 de suas lojas sofreram ataques e saques. E nas imagens publicadas nas redes sociais, vê-se que muitas lojas, restaurantes e escritórios foram saqueados e atacados.

E o escritório em Valparaíso do jornal El Mercurio,uma das principais mídias chilenas foi atacado.

Os atos de violência não param, embora o presidente chileno, Sebastián Piñera, tenha anunciado a suspensão do aumento das tarifas do metrô de Santiago.



Notícias relacionadas