Relatório final sobre o submarino naufragado ARA San Juan é apresentado

O relatório final apontou que a causa foi a entrada de água no navio, o que causou um curto-circuito nas baterias.

Relatório final sobre o submarino naufragado ARA San Juan é apresentado

Foi revelado que o submarino argentino, onde 44 pessoas morreram no Oceano Atlântico, afundou depois do incêndio causado por um curto-circuito nas baterias seguido por uma explosão.

O relatório da comissão sobre o submarino da Marinha argentina ARA San Juan, submerso em novembro de 2017, foi apresentado ao Congresso Nacional.

O relatório apontou para um curto-circuito na bateria número 3 causado pela entrada de água e a seguinte explosão como causa do naufrágio. 

Além disso, observou que o submarino afundou 11 horas após o aviso de incêndio.

O relatório inclui críticas do presidente da Comissão, José Ojeda, que não responsabilizou ninguém, mas toda a cadeia de comando para o afundamento do submarino e ressaltou que a situação de emergência após o incêndio não foi bem gerida.

O relatório assegura que o fato de que a Marinha não levou a sério o aviso de incêndio vindo do navio ARA San Juan dificultou o apoio necessário.

O presidente argentino, Mauricio Macri, também foi questionado no relatório, que o acusa de mostrar um baixo nível de envolvimento com tudo relacionado à tragédia e não demitir o ministro da Defesa Óscar Aguad.

O incêndio ocorreu na noite de 14 de novembro de 2017 no submarino ARA San Juan após seu retorno à base de Mar del Plata, no norte do porto de Ushuaia, no sul do país.

No dia seguinte, foi feita uma tentativa de baixar o submarino a uma profundidade de 40 metros para testar a bateria que causou o incêndio, mas o navio afundou neste momento causando a morte de 44 tripulantes.



Notícias relacionadas