Alejandro Toledo foi preso nos EUA por pedido de extradição do Peru

O ex-presidente do Peru é investigado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso da Odebrecht.

Alejandro Toledo foi preso nos EUA por pedido de extradição do Peru

O presidente peruano Alejandro Toledo foi preso nos Estados Unidos depois de um pedido de extradição de seu país, onde está sendo investigado pelas supostas ofensas de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso de suborno da construtora brasileira Odebrecht, informou o Gabinete do Procurador do Peru.

"O Ministério Público, através da Unidade Internacional de Cooperação Judiciária, informa que o ex-presidente Alejandro Toledo Manrique foi preso nesta manhã por extradição nos Estados Unidos", disse a entidade.

A promotoria acrescentou que o exmandatario está em sua primeira aparição perante as autoridades judiciais norte-americanas, como parte do processo que visa a sua volta ao Peru.

O ex-superintendente da Odebrecht no Peru, Jorge Barata, disse em abril passado que a construtora entregou um suborno de US $ 31 milhões ao ex-presidente, revelou a mídia local IDL-Reporters.

A declaração de Barata veio no contexto de um interrogatório sobre os supostos pagamentos ilegais da empresa brasileira pela outorga de obras para a Linha Um da rodovia Lima Metro e Interoceânica Sul em suas seções dois e três.

O exmandatario tem uma medida preventiva de detenção contra ele desde fevereiro de 2017 em seu país. A embaixada peruana em Washington fez um pedido de extradição ao Departamento de Estado dos EUA em maio de 2018.

Toledo foi presidente do Peru entre 2001 e 2006 depois de vencer no segundo turno nas eleições presidenciais de 3 de junho de 2001 para o falecido e também exmandatario Alan García. Seu período no chefe de estado começou após a renúncia de Alberto Fujimori, eleito presidente em 2000.



Notícias relacionadas