Suprema Corte do Brasil ordena a libertação do ex-presidente Michel Temer

Temer se rendeu nesta quinta-feira, 9 de maio, à polícia depois de conhecer um novo mandado de prisão contra ele.

Suprema Corte do Brasil ordena a libertação do ex-presidente Michel Temer

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do Brasil aprovou por unanimidade o habeas corpus apresentado pelos advogados de defesa do ex-presidente Michel Temer.

O jornal Folha de São Paulo indicou que, com essa decisão, a liberação foi concedida a Temer, que está sendo detido preventivamente.

O ex-presidente do Brasil entregou-se à polícia na quinta-feira, 9 de maio, depois de ouvir um novo mandado de prisão contra ele.

No dia 21 de março, a força-tarefa da "Lava Jato" havia detido o ex-presidente no Rio de Janeiro. Quatro dias depois, o juiz do Tribunal Regional Federal, Antonio Ivan Athié, ordenou sua libertação.

O caso de Temer enquadra-se na investigação da "Lava Jato", que desencadeou uma série de escândalos em torno da classe política brasileira. As denúncias têm em vista não só o exmandatario, senão a dezenas de políticos e empresários por uma rede de pagamento de numerosos subornos.

As denúncias contra Temer foram divulgadas em maio de 2017 pelo empresário Joesley Batista, dono da industrial JBS. Batista acusou Temer de ter se beneficiado do pagamento de subornos. Um dos testes apresentados pelo empresário é um áudio gravado em segredo em conversa com o ex-presidente, no qual Temer parece garantir o pagamento de propinas a políticos.

Michel Temer foi o 37º presidente do Brasil, depois de substituir a ex-presidente Dilma Rousseff, que foi demitida pelo Congresso brasileiro por meio de um processo de 'impeachment'.

Formado em direito, Temer iniciou sua carreira pública nos anos 60, quando assumiu o governo do estado de São Paulo. Ao final da ditadura no Brasil, na década de oitenta, foi deputado constituinte e, posteriormente, eleito deputado federal quatro vezes consecutivas.

Ele se tornou presidente do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) por 15 anos.



Notícias relacionadas