Guaidó convoca marchas para rejeitar prisão de deputado da oposição

Edgar Zambrano é o primeiro dos dez deputados que o Supremo Tribunal de Justiça pediu para levar a julgamento por participar da tentativa de golpe em 30 de abril.

Guaidó convoca marchas para rejeitar prisão de deputado da oposição

AA - O líder da oposição venezuelana Juan Guaidó novamente chamou seus seguidores às ruas no sábado, desta vez para repudiar o que qualificam como uma perseguição contra os membros da oposição da Assembleia Nacional.

No final da tarde quarta-feira, o primeiro vice-presidente do parlamento, deputado Edgar Zambrano, foi preso por agentes do Serviço de Inteligência Bolivariana (Sebin).

Segundo denunciaram os advogados na tarde de quinta-feira e parentes de Zambrano a partir de El Helicóide, a sede da polícia política não tiveram nenhuma informação do parlamentar desde que foi capturado junto com seu guarda-costas e motorista no início da quarta-feira.

Zambrano é o primeiro preso de dez deputados da oposição para o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ), designado pela decisão da Assembleia Nacional Constituinte (ANC), ordenou a acusação esta semana, depois de seu envolvimento na tentativa de golpe do último 30 de abril.

"Para querer mostrar o poder que já não têm, incutiram o terror nos porta-vozes do povo (os deputados) e sequestram nada mais e nada menos do que o primeiro vice-presidente da AN", repudiou Guaidó ao meio-dia a partir da sede de seu partido, Vontade Popular. Lá ele também denunciou fraturas dentro do chavismo.

Dos dez deputados na mira das forças do Estado venezuelano de segurança, após a decisão do ANC a imunidade parlamentar foi revogada, três procuraram proteção em missões diplomáticas. Terça-feira, a deputada Mariela Magallanes se refugiou na embaixada italiana, como Américo de Grazia e Richard White fez o mesmo na Embaixada da Argentina.



Notícias relacionadas