Operação Fonte da Paz

"O objetivo é a paz
o alvo é o terrorismo"

O Ministério Público de Honduras acusa 16 pessoas de crimes denunciados pela líder assassinada Berta

A entidade indicou às autoridades locais e funcionários da empresa DESA de corrupção na concessão de licenças para a construção da usina hidrelétrica de Agua Zarca

O Ministério Público de Honduras acusa 16 pessoas de crimes denunciados pela líder assassinada Berta

AA - O Ministério Público de Honduras apresentou denúncias contra 16 pessoas por supostos crimes de fraude e corrupção na concessão de licenças e autorizações para a construção da hidrelétrica de Agua Zarca em favor da empresa Desenvolvimentos Energéticos SA. (DESA), informou a Missão de Apoio Contra a Corrupção e a Impunidade em Honduras (Maccih).

A Missão indicou que as denúncias foram impetradas "pelos supostos crimes de fraude, abuso de autoridade, violação dos deveres dos funcionários, negociações incompatíveis com o exercício de funções públicas e falsificação de documentos, em prejuízo do Estado, no chamado caso de 'Fraude no Gualcarque' ".

Através de um comunicado de imprensa, o Maccih explicou que as acusações foram feitas com base nas "denúncias apresentadas na época pela líder indígena e ambientalista Lenca Berta Cáceres, assassinada há três anos".

A lista de réus inclui funcionários públicos, autoridades locais e funcionários da empresa DESA, entre os quais está seu presidente executivo, Roberto David Castillo, que está sob custódia e contra quem há processos judiciais em curso para determinar sua culpa ou não como o autor intelectual do assassinato de Berta Cáceres.



Notícias relacionadas