Tribunal do Exílio da Venezuela solicitou alerta vermelho contra Maduro na Interpol

Em 29 de outubro, o Supremo Tribunal de Justiça do exílio publicou um julgamento final contra o presidente Maduro, no qual o considerou culpado pelos crimes de corrupção e legitimidade do capital.

1091860
Tribunal do Exílio da Venezuela solicitou alerta vermelho contra Maduro na Interpol

O Supremo Tribunal de Justiça do exílio da Venezuela solicitou a circular de alerta vermelho perante a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) contra o presidente Nicolás Maduro.

Em 29 de outubro, o Supremo Tribunal de Justiça do exílio publicou uma sentença final contra o Presidente Maduro, na qual o considerou culpado pelos crimes de corrupção própria e pela legitimação do capital.

Segundo essa sentença, Maduro deve cumprir uma sentença de 18 anos e três meses de prisão.

A audiência do julgamento da corrupção contra Maduro ocorreu em Bogotá, Colômbia, depois que a Corte decidiu em agosto deliberar sobre o veredicto.

Os juízes do Tribunal de exílio se reuniu por uma hora depois que o ex-procurador-geral da Venezuela, Luisa Ortega Díaz, expor a evidência com a qual ele acusou Maduro de cometer crimes de corrupção e legitimidade de suborno no caso da Odebrecht.

O julgamento contra Maduro foi iniciado com base numa denúncia feita pela ex-promotor Ortega, que acusou o presidente da Venezuela de aprovar a construção de uma ponte sobre o Lago Maracaibo- a cargo da Odebrecht - que nunca foi executado.

Além disso, assegurou que Maduro omitiu o suposto pagamento de US $ 98 milhões da empresa brasileira a autoridades venezuelanas.



Notícias relacionadas