Economistas avisam que a Venezuela está à beira da bancarrota

Alvo de críticas, Maduro responsabiliza a oposição e os Estados Unidos, que acusa de levarem a cabo uma “guerra económica”.

Economistas avisam que a Venezuela está à beira da bancarrota

German García-Velutini, o diretor geral do Banco Venezuelano de Crédito, disse que a sua instituição começará a pagar as suas dívidas ao ritmo de 2 mil milhões de dólares por mês, a partir de outubro ou novembro.

A Venezuela viu-se obrigada a vender uma grande parte das suas reservas de ouro e petróleo, para pagar as dívidas que se vencem agora.

A economia do país está a atravessar um período difícil, devido aos baixos preços do petróleo e à crise política, com protestos nas ruas contra o governo socialista de Maduro depois da criação da ANC.

O bolívar, a moeda venezuelana, desvalorizou 15% na primeira semana de agosto. O FMI prevê que a inflação de 2 017 seja de 720%. O preço dos alimentos atingiu valores altíssimos e há falta de equipamentos médicos básicos.

Alvo de críticas, Maduro responsabiliza a oposição e os Estados Unidos, que acusa de levarem a cabo uma “guerra económica”.

O ex-ministro da Planificação do Poder Popular, Ricardo Hausmann, afirmou que o rendimento per capita caiu 40% desde 2 013. Segundo ele, “devido à alta inflação sem precedentes, os venezuelanos estão à beira da pobreza”.



Notícias relacionadas