Egito: a explosão de ontem foi um atentado terrorista

Na sequência das investigações sobre a explosão desta segunda-feira no Cairo, descobriu-se qua a explosão foi causada por um carro armadilhado.

Egito: a explosão de ontem foi um atentado terrorista

O governo egípcio anunciou que a explosão de ontem no Cairo, a capital do Egito, se tratou de um atentado terrorista. A explosão causou a morte a 20 pessoas e fez 47 feridos.

De acordo com a declaração escrita publica pelo Ministério do Interior, um veículo que circulava em contramão embateu contra 3 veículos, nas imediações do Instituto do Cancro, no Cairo, durante a noite.

Na sequência das investigações sobre a explosão desta segunda-feira no Cairo, descobriu-se qua a explosão foi causada por um carro armadilhado carregado de bombas, e que o verdadeiro objetivo era levar a cabo um atentado terrorista noutra zona estratégica da cidade.

O carro armadilhado foi roubado na cidade de Al Manufiya e o ataque foi pelo Movimento Hasm, ligado à Irmandade Muçulmana (Al Ikhwan).

O presidente do Egito, Abdelfatah al Sisi, publicou uma mensagem de condolências após a explosão, e desejou a bênção de Alá aos falecidos, apresentou os pêsames às suas famílias e desejou uma rápida recuperação dos feridos.

 

Muitos países condenaram o atentado “terrorista” no Cairo

A Embaixada dos Estados Unidos no Cairo publicou uma declaração escrita, na qual condenou a explosão classificada de “atentado terrorista” e desejou condolências aos familiares das vítimas.

Vários outros países da região, incluindo a Arábia Saudita, o Bahrein, o Kuwait, o Iraque, os Emirados Árabes Unidos e a Palestina, através do seu presidente Mahmud Abbas, condenaram este ataque terrorista.

Os movimentos Hamas e a Jihad Islâmida, bem como o presidente do Parlamento Árabe, Meshal bin Fehm es Silmi, também publicaram declarações condenando o atentado terrorista e desejaram condolências ao povo egípcio.



Notícias relacionadas