Mais de 1.200 morrem de fome em campo de refugiados da Nigéria

Milhares de refugiados morrem de fome ou doenças em um acampamento de ajuda criado para pessoas que fogem Boko Haram.

Mais de 1.200 morrem de fome em campo de refugiados da Nigéria

Mais de 1.200 refugiados, que fugiram da Boko Haram, morreram de fome em um acampamento de ajuda no nordeste da Nigéria no ano passado, disse a organização Médicos Sem Fronteiras na quinta-feira.

Descrevendo como uma "emergência humanitária catastrófica", a organização disse que quase 200 pessoas morreram no mês passado, no mesmo acampamento.

Durante a sua visita na terça-feira ao acampamento em Bama, cerca de 70 quilômetros (45 milhas) de Maiduguri, a MSF descobriu que 24.000 pessoas, incluindo 15.000 crianças estão abrigadas no acampamento.

"Esta é a primeira vez que a MSF tem sido capaz de acessar Bama, mas já sabemos que as necessidades das pessoas de lá estão críticas", disse Ghada Hatim, chefe de missão de MSF na Nigéria.

"Nós estamos tratando crianças desnutridas em instalações médicas em Maiduguri e ver o trauma nos rostos de nossos pacientes que testemunharam e sobreviveram muitos horrores."

Os resultados chocantes mostram que de 800 crianças examinadas, 19 por cento sofrem de "desnutrição aguda grave", enquanto 16 crianças são "gravemente desnutridas" em risco de morte.

Segundo o relatório da MSF, pelo menos 188 pessoas morreram desde 23 de maio devido a diarréia e desnutrição.

"Foi-nos dito que as pessoas, incluindo crianças lá morreram de fome", disse Ghada Hatim, chefe de missão na Nigéria de MSF. "Fomos informados de que em certos dias mais de 30 pessoas morreram devido à fome e doença."

MSF contou 1.233 sepulturas das quais 480 pertencem a crianças. As sepulturas foram escavadas no ano passado.

A rebelião de Boko Haram de sete anos tem deslocado 2 milhões de pessoas na Nigéria, Chade, Níger e Camarões e matou pelo menos 20.000.

A Agência infantil da ONU, UNICEF, lançou uma declaração sobre os seus esforços de ajuda humanitária no acampamento.

A agência disse que tem prestado um apoio nutricional para cerca de 19.000 pessoas.

Junto com seus parceiros, a UNICEF tem oferecido apoio em saúde, nutrição, água e saneamento.

"Estamos atendendo uma média de 140 pacientes ambulatoriais por dia, oferecendo tratamento principalmente para a malária, infecções respiratórias e diarréia; triagem de crianças por desnutrição e tratamento de crianças gravemente desnutridas; e fornecendo vitamina A, suplementos de micronutrientes e comprimidos de desparasitação", disse o relatório.

Fonte: TRTWorld e agências



Notícias relacionadas