Funcionários da Cruz Vermelha sequestrados no Congo são soltos

Três membros da equipe da Cruz Vermelha sequestrados há três dias no leste do Congo em um ataque, foram libertados, afirmou a organização com sede em Genebra.

Funcionários da Cruz Vermelha sequestrados no Congo são soltos

"Eles estão livres e estarão de volta em Goma amanhã", disse um pora-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), à Reuters, sem dar mais detalhes.

O Centro de Estudos para a Promoção da Paz, Democracia e os Direitos Humanos, situado no Congo, responsabilizou pelo sequestro as Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda, um grupo de ex-soldados e combatentes hutus por trás do genocídio de Ruanda de 1994.

Trabalhadores humanitários são frequentemente sequestrados na República Democrática do Congo e em janeiro a Organização das Nações Unidas disse que o aumento no número de sequestros e a insegurança estão dificultando a prestação de ajuda humanitária.



Notícias relacionadas