Milhares marcham por mudança política na África do Sul

Líder da oposição exige o afastamento do presidente Sul Africano e do partido governista CNA na sequência do recente escândalo de corrupção no país.

471900
Milhares marcham por mudança política na África do Sul

Apoiadores do principal partido da oposição sul-africano Aliança Democrática marcharam em Joanesburgo na sexta-feira, pedindo por uma mudança política e afastamento do presidente do país, Jacob Zuma, do cargo.

Dirigindo-se a milhares de simpatizantes em Joanesburgo, o líder da oposição Mmusi Maimane disse que o partido Congresso Nacional Africano deve ser votado para sair do poder porque era supostamente corrupto.

"A corrupção está em toda a organização. Não é apenas Zuma. Estamos aqui para dizer basta CNA", disse Maimane.

O protesto aconteceu duas semanas depois que a corte constitucional do país decidiu que Zuma havia violado a Constituição ao não cumprir ordens anti-corrupção de vigilância para devolver milhões do dinheiro público usado para reformar a sua casa particular.​

"O sonho de Nelson Mandela morreu no CNA. Ele deve agora ser continuado pelo AD", disse Maimane em referência aos altos valores que foram defendidos pelo ícone anti-apartheid, que uma vez comandou o Congresso Nacional Africano e o país.

Ele pediu aos sul-africanos para votarem em seu partido Aliança Democrática nas próximas eleições para que o país realize mudanças políticas.

O Congresso Nacional Africano, que lutou pela libertação da África do Sul a partir de governo de minoria branca, está no poder desde o alvorecer da democracia no país em 1994.

Maimane prometeu que seu governo que irá acabar com a corrupção, criar empregos e fornecer serviços para as pessoas.

"Zuma deve cair. Ele deve sair", disse ele à multidão vestida de azul.

Houve apelos crescentes para Zuma renunciar desde que o tribunal constitucional descobriu que ele violou seu juramento de posse.

Enquanto isso, o porta-voz do Congresso Nacional Africano, Khusela Sangoni negou veementemente as denúncias de corrupção da oposição.



Notícias relacionadas