Turquia reage duramente contra a China por violações dos direitos humanos

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hami Aksoy, fez declarações sobre graves violações dos direitos humanos contra os turcos uigures.

Turquia reage duramente contra a China por violações dos direitos humanos

A Turquia pediu à República Popular da China que leve em conta suas reações contra graves violações de direitos humanos.

O porta-voz do Ministério do Exterior, Hami Aksoy, fez declarações escritas sobre as graves violações dos direitos humanos contra os turcos uigures.

"As práticas que violam os direitos humanos básicos dos turcos uigures na Região Autônoma de Xinjiang Uighur de Xinjiang e outras comunidades muçulmanas, especialmente endurecido nos últimos dois anos e levada à agenda da comunidade internacional.

Não é nenhum segredo que mais de um milhão de turcos uigures, que sofrem detenções arbitrárias, sujeitos a tortura e lavagem cerebral em prisões políticas e campos de concentração. Além disso, os uigures, que não param nos campos, também estão sob forte pressão.

Nossos pares e cidadãos uigures, que vivem fora da China, não podem receber informações de seus parentes nessa região. Milhares de crianças permanecem órfãs. O reaparecimento dos campos de concentração e a política de assimilação sistemática das autoridades chinesas contra os turcos uigures no século XXI são uma fonte de vergonha em nome da humanidade. Transmitimos às autoridades chinesas, em todos os níveis, os nossos pontos de vista sobre a tragédia na região de Xinjiang.

Neste tipo de ambiente, aprendemos com grande tristeza que o importante poeta popular, Abdurahim Hayit, condenado a 8 anos de prisão por sua composição, morreu no segundo ano de sua sentença. Este doloroso evento endureceu ainda mais a reação da opinião pública turca contra graves violações dos direitos humanos na região de Xinjiang. Esperamos que esta reação justa seja levada em conta pelas autoridades chinesas. E convidamos a comunidade internacional e o Secretário-Geral das Nações Unidas a tomar as medidas necessárias para acabar com a tragédia humana na região de Xinjiang."



Notícias relacionadas