Carta de Çavusoglu sobre a Síria, dirigida ao New York Times

“Chegou a altura de Washington decidir quem é o seu verdadeiro aliado na região”.

Carta de Çavusoglu sobre a Síria, dirigida ao New York Times

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Çavusoglu, disse que não se pode defender as atividades do grupo terrorista separatista YPG/PKK na Síria, a poucos quilómetros da fronteira com a Turquia.

Numa carta intitulada “A catástrofe na Síria” - dirigida ao editor do New York Times - Çavusoglu comenta a notícia publicada pelo jornal a 9 de setembro, com o título “Final catastrófico na Síria”.

Çavusoglu apoia o diário americano por chamar a atenção para a operação sangrenta do regime de Bashar Al Assad, contra o último reduto da oposição. O ministro turco recordou também que a ONU antevê que esta operação “causará a maior perda de vidas humanas do século XXI” mas acrescentou que “este artigo ignora outra coisa horrível. Os aliados de Assad que fazem os ataques, são apoiados pelos EUA”.

Segundo Çavusoglu, “os últimos relatórios revelam que o grupo terrorista separatista YPG com atividades na Síria, recebe armas e dinheiro dos impostos pagos pelos americanos, e desenvolve a sua aliança com Assad como parte do acordo pactado entre Damasco e o YPG/PKK. Foram enviados reforços para que Assad conquiste Idlib à oposição”.

O ministro recordou também que o PKK é considerado um grupo terrorista pela Turquia, EUA e UE e disse que “o YPG é a ramificação na Síria do PKK, que há mais de 30 anos executa uma campanha terrorista na Turquia”.

Na carta, Çavusoglu diz ainda que “não se pode defender as atividades do grupo terrorista separatista YPG/PKK na Síria, a poucos quilómetros da fronteira com a Turquia. Chegou a altura de Washington decidir quem é o seu verdadeiro aliado na região”.



Notícias relacionadas