A Turquia vai continuar com a operação Ramo de Oliveira, apesar do avanço dos terroristas pro-regime

Uma coluna militar a favor do governo sírio tentou entrar em Afrin, mas recuou depois de um ataque preventivo da artilharia turca.

A Turquia vai continuar com a operação Ramo de Oliveira, apesar do avanço dos terroristas pro-regime

Ibrahim Kalin, o porta voz da presidência turca, disse numa conferência de imprensa em Ancara que os grupos terroristas pro-regime  tentaram entrar no enclave de Afrin, no noroeste da Síria, mas recuaram e regressaram a Alepo depois dos disparos de aviso dos soldados turcos.

“Ontem, uma coluna militar com uns 40 ou 50 veículos, proveniente de Alepo, tentou entrar na zona sul de Afrin. Foram repelidos pelo nosso fogo de artilharia. Não se trata de um acordo entre o regime de Assad e o PYD-YPG. Apesar das suas tentativas, continuaremos com a operação Ramo de Oliveira”.

Kalin destacou que as informações secretas recentemente recolhidas antes da operação Ramo de Oliveira, comprovam que estão a tentar transformar Afrin num novo Qandil (estrutura terrorista no Iraque”.

Questionado sobre a oferta da Rússia para falar directamente com o regime de Damasco, Kalin disse que “há um mecanismo criado no processo de Astana (acordo de cessar-fogo), para a criação de zonas de distensão. As mensagens que passamos aqui são transmitidas ao regime de Damasco através da Rússia e do Irão. Não existe uma comunicação oficial entre Ancara e o regime de Damasco. Mas em situações extraordinárias, os nossos serviços de informação podem ter contactos diretos ou indiretos no terreno”.



Notícias relacionadas