Turquia: “O referendo de 25 de setembro é nulo”

O vice-primeiro ministro turco Bekir Bozdag, respondeu num canal privado às perguntas sobre os temas da atualidade.

Turquia: “O referendo de 25 de setembro é nulo”

O vice-primeiro ministro turco Bekir Bozdag, respondeu num canal privado às perguntas sobre os temas da atualidade. Bozdag repetiu que a decisão de realização do referendo ilegal por parte da Administração Regional Curda do Iraque (IKBY na sua sigla em turco), é nula para a Turquia e para o direito internacional.

O ministro salientou que a Turquia elaborou uma linha de rumo ao avaliar o que pode ser feito no Conselho de Segurança Nacional e no Conselho de Ministros, e que já iniciou uma operação.

Bozdag recordou também que foram suspensos os voos para Erbil e Suleymaniye, e que o interlocutor da Turquia continua a ser o governo central iraquiano.

“Agora o governo e o estado decidiram os passos que serão dados, em função das próximas medidas tomadas pela Administração Regional Curda do Iraque. Todas as decisões serão implementadas passo a passo, no tempo apropriado” – afirmou Bozdag.

O vice-primeiro ministro turco respondeu também a uma pergunta sobre as manobras contínuas na fronteira turca e sobre a possibilidade de intervenção em Afrin. Bozdag disse que todos os incidentes ocorridos no Iraque e na síria estão diretamente relacionados com a segurança nacional da Turquia, e apresentam riscos de maior dimensão para a segurança nacional.

Bozadag recordou ainda que os Estados Unidos estão a cooperar com o PYD e com o YPG, as ramificações na Síria do grupo terrorista separatista PKK. Para a Turquia, esta situação é um erro e deverá ser corrigida.

O ministro Bozdag considera que um dos objetivos do YPG e do PKK na região é a criação de um corredor terrorista no norte da Síria: “Enquanto Turquia, dizemos que nunca permitiremos que se forme uma faixa terrorista na nossa fronteira. Não podemos permitir o aparecimento de mais desastres na região com estas mudanças, nem ser confrontados com factos consumados no norte da Síria”.

O vice-primeiro ministro turco indicou também que o governo turco está a seguir de muito perto os incidentes em Idlib e Afrin, e acrescentou que serão tomadas decisões importantes a este respeito em Astana.



Notícias relacionadas