Presidente Erdogan reage aos comentários de Washington contra a compra turca dos mísseis S-400

“Ficaram doidos com o acordo que assinámos para comprar os S-400”.

Presidente Erdogan reage aos comentários de Washington contra a compra turca dos mísseis S-400

O presidente Recep Tayyip Erdogan reagiu aos comentários da administração americana, que está contra a compra dos mísseis russos S-400 por parte da Turquia. Os mísseis S-400 fazem parte do sistema antimísseis que a Turquia comprou à Rússia.

“Ficaram doidos com o acordo que assinámos para comprar os S-400” – afirmou o presidente turco. O comentário foi feito durante um encontro do presidente com autarcas em Ancara. Durante este evento, Erdogan disse também que se fará tudo o que for preciso para manter o estado de pé.

O presidente Erdogan deixou a seguinte mensagem aos Estados Unidos, depois destes terem manifestado a sua preocupação pela compra turca dos mísseis S-400 russos: “Ficaram doidos com o acordo que assinámos para comprar os S-400. Do que estavam à espera? Que ficássemos nós à espera das suas decisões? Nós tomamos e continuaremos a tomar as nossas medidas em todas as áreas da segurança. Este país já produz os seus próprios drones e as suas armas. Vamos também começar a produzir equipamento de transporte e tanques”.

Erdogan salientou também que a Turquia é um país que não faz concessões na sua política de “não causar danos aos civis” nas suas operações, tanto dentro das suas fronteiras como no estrangeiro.

A porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Heather Nauert, fez comentários sobre as negociações entre a Rússia e a Turquia para a compra do sistema antimísseis S-400, assinalando que é importante que os países membros da NATO usem equipamentos militares adaptados ao sistema da NATO. Quando questionada sobre este assunto numa conferência de imprensa, Nauert disse que “é importante que os países membros da NATO usem equipamentos militares adaptados ao sistema da NATO. Se o sistema russo não estiver ao nível dos nossos requisitos, e se a Turquia avançar com esta compra como tem indicado, será algo preocupante para nós”.



Notícias relacionadas