Últimos desenvolvimentos na gestão da Economia da Turquia e os Números do Crescimento

Análise do Prof. Dr. Erdal Tanas KARAGÖL do Departamento de Economia da Faculdade de Ciências Políticas da Universidade de Yildirim Beyazit.

Últimos desenvolvimentos na gestão da Economia da Turquia e os Números do Crescimento

Ecopolítica - capítulo 37/2018

A economia da Turquia no segundo trimestre de 2017 registrou 5,2 por cento de crescimento em 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Este é o sétimo registro de sucesso em sete trimestres consecutivos de crescimento da economia da Turquia.

Após o crescimento de 7,3 por cento no primeiro trimestre de 2018, o segundo trimestre mostra que a tendência de crescimento entrou em uma certa queda de acordo com o primeiro trimestre.

De fato, essas taxas são os primeiros sinais de crescimento para o segundo semestre do ano e para o ano de 2018.

Nesse contexto, é possível dizer que contribuirá positivamente para o crescimento alcançado em 2018 para o crescimento do segundo trimestre.

Evidentemente, por outro lado, nos últimos tempos, os ataques especulativos sobre a economia da Turquia e o aumento acentuado da taxa de câmbio é um dos tópicos mais importantes que se constituirá na reunião do Comitê de Política Monetária (PPK, por suas siglas em turco) que se reunirá essa semana e decidirá sobre as temáticas.

Além disso, também é necessário considerar como os efeitos de todos esses desenvolvimentos durante o período de julho a agosto e setembro sobre os números de crescimento do terceiro trimestre irão influenciar a economia.

Olhando para dados de crescimento no segundo trimestre, vislumbra-se que há uma certa desaceleração nas taxas de consumo e investimento.

Apesar dessa desaceleração, no entanto, vale ressaltar que a demanda interna ainda possui um lugar importante em sua composição. Há um aumento significativo nas exportações. Em comparação com o mesmo período do ano passado, as exportações aumentaram 4,5 por cento. As importações, por outro lado, aumentaram 0,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Para o próximo período, prevê-se que o comércio global entre em uma certa contração e podemos dizer que o comércio exterior será extremamente importante para a economia da Turquia neste período.

A economia da Turquia em 2018 aumentou as suas exportações e esse modelo pode contribuir para a redução do défcit em conta corrente e voltar a restaurar as metas de crescimento estáveis da estrutura econômica.

 Por outro lado, podemos dizer que, se avaliarmos os dados de crescimento em termos de atividades, a agropecuária está apresentando um desempenho fraco com queda de 1,5%, 8% no setor de serviços, 4,3% na indústria e 0,8% na construção civil.

Além disso, a economia da Turquia no segundo trimestre chegou a uma posição de liderança entre os países da OCDE, com taxas de crescimento de 5.2 por cento e também alcançou o segundo lugar entre os países da União Europeia.

No segundo semestre de 2018, o crescimento econômico será sentido no terceiro e quarto trimestre, tendo o efeito da taxa de câmbio sendo claramente percebida. Diante dos dados divulgados, percebemos que a partir de números de crescimento do trimestre, a economia da Turquia aparece realmente entrando em um período de estabilização.

Portanto, deve-se enfatizar que é extremamente importante manter as dinâmicas econômicas e políticas equilibradas tanto em nível nacional quanto global, proporcionando o atual equilíbrio econômico no processo de luta contra os riscos geopolíticos e a ataques especulativos que estamos expostos.

Além disso, o novo Programa a Médio Prazo, que define as políticas a serem implementadas para atingir essas metas, onde as novas flutuações são extremamente altas e novas metas são definidas para os indicadores macroeconômicos, aumentam as expectativas sobre as medidas que serão tomadas como instrumentos de política monetária para eliminar o efeito negativo do aumento cambial na macroeconomia  pelo Programa a Médio Prazo  (OVP, por suas siglas em turco) .

Atualmente, no mercado financeiro todos os olhos e ouvidos estão voltados para o novo Programa a Médio Prazo, no qual são determinados tanto a política fiscal a ser aplicada, quanto os indicadores macroeconômicos compatíveis com a política monetária.

Esta foi a análise do Prof. Dr. Erdal Tanas KARAGÖL do Departamento de Economia da Faculdade de Ciências Políticas da Universidade de Yildirim Beyazit.



Notícias relacionadas