Nazarbayev é o lider do seu país desde o ano de 1 991

Desde 1 991, Nazarbayev não conseguiu apenas dar credibilidade ao Cazaquistão, mas também ao mundo turco e a muitos outros países. A análise do Dr. Cemil Dogaç Ipek, catedrático do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Ancara.

Nazarbayev é o lider do seu país desde o ano de 1 991

Na República do Cazaquistão, um dos países estratégicos da Eurásia e do mundo turco, a liderança do governo é assegurada por Nursultan Nazarbayev desde a proclamação da independência do país. No programa desta semana, vamos analisar o governo de Nazarbayev, que criou o modelo cazaque e influenciou a sua região. Já a seguir, apresentamos a opinião sobre este tema do Dr. Cemil Dogaç Ipek.

Nursultan Nazarbayev é o lider do seu país desde o ano de 1 991, quando o Cazaquistão se tornou um país independente. Desde 1 991, Nazarbayev não conseguiu apenas dar credibilidade ao Cazaquistão, mas também ao mundo turco e a muitos outros países. Nazarbayev é alvo de grande interesse, por um ser um lider conhecido pela opinião pública mundial pelas suas posições a favor da paz.

Nazarbayev nasceu em 1 940 no seio de uma família respeitada de Cemolgan, nas proximidades de Almaty. Quando começaram os anos da Guerra Fria, Nazarbayev estava ainda na escola primária. No liceu, seguiu o curso de metalurgia. Em 1 962, Nazarbayev formou-se em Engenharia Metalúrgica na Universidade de Karagandi. Durante o período em que manteve importantes cargos burocráticos até 1 984, Nazarbayev interessou-se pelos problemas individuais dos operários e desempenhou um papel importante na solução dos problemas industriais. O então burocrata Nazarbayev fez propostas ao goberno central, para proteger os direitos dos operários.

Nursultan Nazarbayev foi o único candidato às eleições presidenciais realizadas no dia 1 de dezembro de 1 991, e a 21 de dezembro foi assinado em Almaty o acordo que permitiu ao Cazaquistão obter a sua independência. A política multidimensional de Nazarbayev, fez com que a opinião pública internacional olhasse para ele como um “lider mediador”. Como sabemos, Nazarbayev também entrou em cena para tentar resolver a crise síria e para tentar pôr fim ao drama humanitário que se vive no país. Nazarbayev foi o anfitrião das Reuniões de Astana, realizadas com o apoio da Rússia, do Irão e da Turquia.

O facto do Cazaquistão ter sido o anfitrião destas negociações, foi uma oportunidade para a participação de um ponto de vista positivo dos turcomenos – um dos atores importantes na Síria – nas negociações de Astana.

A existência de um lider como Nazarbayev na liderança do Cazaquistão, que dá importância ao mundo turco e que tem opiniões originais sobre o mundo turco, é uma oportunidade para o mundo turco. As opiniões originais de Nazarbayev sobre a colaboração dentro do mundo turco, podem representar várias oportunidades para o Conselho Turco, um organismo que também inclui o Azerbaijão, o Cazaquistão, o Quirguistão e a Turquia. Neste contexto, o Turquemenistão e o Uzbequistão têm que dar força ao Conselho Turco com a sua presença. Este organismo é muito importante para o Cazaquistão e para a Turquia.

Se o mundo turco conseguir assegurar dentro de si mesmo uma forte colaboração, isso terá reflexos positivos ao nível das organizações internacionais. Agora, e tal como a França aparece como o representante dos países francófonos no Conselho de Segurança da ONU, nos próximos anos a representação dos países turcofonos também terá que ser assegurada na ONU por parte do mundo turco. E nesse sentido, foi feito um pedido para que haja um país membro do Conselho Turco no Conselho de Segurança da ONU.

Nazarbayev esteve ao lado da Turquia depois da tentativa de golpe de estado de 15 de julho de 2 016, levado a cabo pela organização terrorista FETO. Nazarbayev foi também o primeiro presidente a visitar Ancara depois da intentona. O facto de Nazarbayev ter sido o primeiro chefe de estado a visitar a Turquia depois desta situação é muito significativo. Em Ancara, o presidente cazaque disse que “os inimigos da Turquia são também nossos inimigos”, o que mostra a irmandade real entre os dois países.

O presidente da República da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, diz em todos os seus discursos que Nursultan Nazarbayev é a “barba branca do mundo turco”. Esta mesma frase foi proferida por Erdogan durante a última visita de Nazarbayev à Turquia: “O senhor presidente é como a barba branca do mundo turco. Graças às políticas lógicas e equilibradas postas em prática por Nazarbayev, hoje em dia o Cazaquistão passou a ser um ator de prestígio que procura colaborar na região e no mundo. O país irmão do Cazaquistão, com o qual partilhamos o idioma, a história e uma cultura comum, fortaleceu depois da sua independência a estabilidade política e obteve um rápido desenvolvimento económico”.

Ao longo do ano de 2 016, durante as minhas viagens ao Cazaquistão, tive a oportunidade de observar in loco as mudanças e a transformação do Cazaquistão. Sobre esta questão, tenho que sublinhar que Nazarbayev é um lider que consegue ler muito bem a nossa era e o espírito do tempo em que vivemos. Por este motivo, é muito importante a ordem de Nazarbayev no sentido do alfabeto cirílico do país ser substituído pelo alfabeto latino. Nursultan Nazarbayev sublinhou que até 2 025 todos os livros deverão passar a ser impressos no alfabeto latino. Esta decisão é uma iniciativa muito importante e estratégica, para a unidade do idioma e do alfabeto.

“O modelo cazaque”, definido segundo o ponto de vista e a estratégia de Nursultan Nazarbayev, alimenta-se do património profundo da civilização turca e mostra desenvolvimento económico com estabilidade. Por conseguinte, em 2 018 o Cazaquistão deu passos para entrar num período histórico. O objetivo do Cazaquistão é fazer parte dos 30 países mais desenvolvidos do mundo. Eu penso que o Cazaquistão, liderado por Nazarbayev, continuará a fazer o seu caminho de forma determinada.

Atualmente, a existência de líderes como Nursultan Nazarbayev e Recep Tayyip Erdogan, são uma grande oportunidade tanto para cada um dos países, como para todo o mundo turco.

Esta foi a opinião sobre este tema do Dr. Cemil Dogaç Ipek, catedrático do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Ancara



Notícias relacionadas