As relações entre o Azerbaijão e a Turquia continuam nas plataformas internacionais

Passaram 26 anos desde o Tratado de Criação de Relações Diplomáticas, assinado a 14 de Janeiro de 1 992 entre o Azerbaijão e a Turquia. A análise do Dr Cemil Dogaç Ipek, catedrático do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Karatekin.

As relações entre o Azerbaijão e a Turquia continuam nas plataformas internacionais

Já passaram 26 anos desde a assinatura do Tratado de Criação de Relações Diplomáticas, formalizado a 14 de Janeiro de 1 992 entre o Azerbaijão e a Turquia. No programa desta semana, vamos analisar as relações entre a Turquia e o Azerbaijão e os seus reflexos na região.

A República da Turquia foi o primeiro estado a reconhecer a República do Azerbaijão, a 9 de novembro de 1 991, depois do país ter declarado a sua independência a 30 de agosto de 1 991. As relações diplomáticas entre a Turquia e o Azerbaijão tiveram início a 14 de Janeiro de 1 992.

Com o objetivo de fortalecer ainda mais as relações bilaterais, em 2 010 foi criado o mecanismo do Conselho de Cooperação Estratégica de Alto Nível. As relações tripartidas, estabelecidas entre a Turquia – Azerbaijão – Geórgia, Turquia – Azerbaijão – Irão e também entre a Turquia – Azerbaijão – Turquemenistão, são mecanismos importantes que dão apoio à estabilidade, paz e tranquilidade na região.

A realização de projetos como o Oleoduto de Crude entre Bacu – Tbilissi – Ceyhan, bem como a sua extensão entre Bacu, Tblissi e Erzurum, que permite o escoamento dos recursos energéticos do Mar Cáspio para o mercado mundial, são passos importantes no caminho que leva a que a associação estratégica se transforme em irmandade.

O volume comercial entre a Turquia e o Azerbaijão anda em redor dos 5 mil milhões de dólares. O objetivo dos dois países é elevar este número para 15 mil milhões de dólares, até 2 023.

As relações entre o Azerbaijão e a Turquia estão assentes numa base de confiança e solidariedade mútuas, que se estende também nas plataformas internacionais. Ambos os estados levam a cabo uma colaboração de sucesso na ONU, na Organização para a Segurança e Cooperação Europeia (OSCE), no Conselho da Europa, na Organização para a Cooperação Económica no Mar Negro e ainda na Organização para a Cooperação Islâmica e no Conselho Turco.

No âmbito da colaboração militar entre o Azerbaijão e a Turquia, foram organizadas várias manobras militares ao longo do tempo, com o objetivo de desenvolver a coordenação entre as forças armadas dos dois países. A última destas manobras aconteceu no começo do mês de maio de 2 017, nas proximidades da capital azeri, Bacu, e teve como objetivo dar formação militar. Nesta manobra participaram mil soldados, 80 tanques e veículos blindados, 60 peças de artilharia e obuses de morteiro, para além de 12 helicópteros de ataque Mi-35 e Mi-17 e ainda sistemas de defesa aérea. Esta manobra militar prolongou-se até 5 de maio e foi finalizada com sucesso.

O Azerbaijão, tal como a Turquia, pertence ao ramo Oguz dos turcos. A união vinda do passado, quando os dois povos viveram juntos no mesmo território ao longo do processo histórico, bem como a proximidade geográfica, facilitam um diálogo mais próximo entre a Turquia e o Azerbaijão. As relações entre os dois países são multidimensionais e atingem um nível estratégico. Existe uma tradição de visitas mútuas dos chefes de estado dos dois países, sempre que um deles assume o poder. Estas visitas ocorrem também sempre que acontecem situações de importância simbólica.

As relações bilaterais entre a Turquia e o Azerbaijão têm como objetivo dar estabilidade e paz à região. As relações entre os dois países não representam uma ameaça contra nenhum país. Adicionalmente, as relações entre a Turquia e o Azerbaijão estão completamente integradas no conceito de “parceria estratégica”. O êxito e a parceria alcançada num espaço de tempo tão curto, de apenas 26 anos, é a prova do laço firme que une os dois países.

A Turquia desenvolve esforços para resolver a questão do Alto Karabag, para garantir a integridade territorial e a soberania do Azerbaijão através de meios pacíficos. Neste sentido, e enquanto membro do Grupo de Minsk da OSCE, a Turquia continua a desenvolver as suas iniciativas e mantém em aberto as linhas de contacto, depois dos fortes combates que aconteceram em certas zonas da fronteira entre o Azerbaijão e a Arménia. Depois de cada situação em que se regista a perda de vidas humanas, a Turquia aproveita todas as oportunidades para acelerar as negociações sobre esta questão.

Infelizmente, as negociações tripartidas de Minsk não deram passos determinados para acelerar este processo. Nesta questão, e apesar de terem sido tomadas decisões internacionais, é triste que este processo se arraste no tempo, devido a práticas dilatórias. Apesar de tudo, a Turquia continuará a apoiar o Azerbaijão, no sentido de ser encontrada uma solução pacífica para a questão do Alto Karabag e para que seja garantida a integridade territorial do Azerbaijão.

A colaboração estratégica entre a Turquia e o Azerbaijão na área da defesa é de grande importância. Outra questão fundamental é o tema da energia, um assunto muito importante para os dois países. Neste contexto estão a ser dados passos rápidos, com a construção do Gasoduto de Gás Natural Transanatoliano (TANAP), que já se transformou num projeto global. A globalização da importância deste projeto, fará com que aumente a importância estratégica e o peso da Turquia na região.

Na reunião entre o representante do Azerbaijão em Ancara, Ibrahim Abilov, a 14 de outubro de 1 921, quando apresentou as suas credenciais diplomáticas a Mustafa Kemal Ataturk, o lider turco disse que “a alegria do Azerbaijão é a nossa alegria, o seu destino é o nosso destino”. Muitos anos depois, esta frase de Ataturk teve resposta por parte de Heidar Aliyev, o atual presidente do Azerbaijão: “Nós somos uma nação, dois estados”.

Atualmente, a importância estratégica das relações entre a Turquia e o Azerbaijão, aumenta ainda mais com projetos como o TANAP ou a ligação ferroviária entre Bacu – Tblissi – Kars, para além de outros projetos semelhantes. Os dois países esforçam-se e estão determinados ao nível político, em fazer avançar ainda mais as relações. Nesta questão, as lideranças fortes de Recep Tayyip Erdogan e de Ilham Aliyev são uma grande oportunidade para os dois países.

Se as relações entre a Turquia e o Azerbaijão continuarem ao nível atual, ambos os países ficarão mais próximos de atingir os seus objetivos.

Esta foi a opinião sobre este assunto do Dr Cemil Dogaç Ipek, catedrático do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Karatekin



Notícias relacionadas