A HISTÓRIA DAS AERONAVES IMPORTADAS E NACIONAIS NO SETOR DE DEFESA: HURKUŞ E OUTROS

O ponto em que chegamos na indústria de defesa em nosso país é o resultado da contribuição das empresas da indústria de defesa e os militares nos seus postos de trabalho e, especialmente, devido às medidas tomadas nos últimos 15 anos com uma boa liderança

A HISTÓRIA DAS AERONAVES IMPORTADAS E NACIONAIS NO SETOR DE DEFESA: HURKUŞ E OUTROS

Os resultados positivos dos importantes progressos realizados nos últimos anos na indústria de defesa da Turquia tem sido vistos nas recentes operações militares. Na luta contra as organizações terroristas no exterior com o começo das operações Escudo de Eufrates e Ramo de Oliveira que continuam de forma bem-sucedida, foram utilizados produtos de fabricação nacional e importados. Os armamentos nacionais, as aeronaves sem piloto, as aeronaves não tripuladas e sem armas e a condução das atividades de manutenção e reparo que levaram às operações de campo chamaram a atenção de todo o mundo. No passado, nosso país, que dependia em grande parte da indústria de defesa externa, agora envia para o espaço satélites, possui produção nacional de armas, aeronaves sem pilotos, radares, tanques e navios. O ponto em que chegamos na indústria de defesa em nosso país é o resultado da contribuição das empresas da indústria de defesa e os militares nos seus postos de trabalho e, especialmente, devido às medidas tomadas nos últimos 15 anos com uma boa liderança.

Nuri Demirağ: “A vitória foi colocada sobre as asas de um avião”

Quando olhamos para a história da indústria de defesa da Turquia, na verdade, apesar de um esforço significativo e um sacrifício, não se vê um apoio da administração de forma suficiente para a indústria de defesa. Estamos nos anos de 1930. Naqueles anos, um dos empresários mais importantes que surgiram em Divriği na Turquia foi Nuri Demirağ que nos mostra o motivo pelo qual fracassamos na indústria internacional-nacional há anos atrás. O país adotou o sobrenome "Demirağ" para a sua rede de estradas de ferro. Assinou dezenas de grandes projetos para o desenvolvimento do país. Em 1939, produziu aviões, abriu a Escola de Aviação e ajudou a formar dezenas de jovens pilotos. Nuri Demirağ dizia "A vitória não está no ponta de uma baioneta. “A vitória, levantou-se da ponta da baioneta com a águia, decolou, a vitória foi colocada sobre as asas de um avião” referindo-se em todas as oportunidades naquela época de como é importante dominar os céus. Não se cansa de falar em montar uma fábrica de aviões para dominar os céus do país. Em 1939, produz a primeira aeronave nacional para voar nos céus.

Mas o que aconteceu com ele não parecia ser compreensível. Para atender às necessidades energéticas anteriores do país, em 1933, o projeto da Barragem de Keban no período de Nafia Vekili (Ministro das Obras Públicas) fazendo uma apresentação para Ali Cetinkaya ele recebeu um tratamento muito ruim. No período, Ali Cetinkaya prestava serviço em um dos “Três Poderes” nos Tribunais da Independência. Antes de se apresentar o projeto de Demirağ o ministro disse “Sim, Senhor Nuri, o senhor construirá a barragem. Como fará, com quem fará, como levantará de baixo um trabalho tão grande? E então digamos que você fará, para quem vai vender a energia que produzirá? " começou a falar de forma ríspida. Demirağ, que veio com seus engenheiros, já estava preparado. Porque no relatório que trazia havia respostas para essas perguntas e de muitos outros tópicos. No entanto, o ministro não estava muito disposto a ouvir. Quando Demirağ falava "este é o futuro do país", foi cortado pelo ministro.

O ministro respondeu a Demirağ: "Ficou para você pensar sobre o futuro do país, se é para pensar, pensaremos " dizendo que não é nada demais.

A barragem de Keban, projetada em 1933, foi colocada na agenda de 1966 e a sua construção levou 10 anos. Por causa da ambição dos executivos, um importante projeto só começou a ser feito cerca de 33 anos depois.

Em 1939 Nuri Demirağ constrói o nosso Primeiro Avião Nacional

Em 1935, uma campanha foi organizada para comprar aeronaves de acordo com as necessidades do país. As pessoas que doassem mais de 10 mil Liras para a compra do avião teriam seus nomes nos mesmos. Entretanto, Nuri Demirag decidiu não doar, mas investir toda a sua fortuna para construir um avião nacional. Depositou todo o dinheiro que ganhou até aquele dia em prol da "confiança na nação". "Comprando licenças da Europa, e da América para construir aeronaves”, o “Modelo Turco” estava fadado a ser uma cópia. Em 1936 foram lançadas as bases da fábrica em Besiktas. Em Divriği, na fábrica que seria construída em Yeşilköy onde localiza-se o Aeroporto de Atatürk começou os trabalhos para fabricar os aviões.

Em 1937, Demirağ e sua equipe trabalhavam dia e noite para fabricar com 10 aviões de treinamento e 65 unidades de planadores por parte da Força Aérea Turca.

Com a morte de Atatürk em 1938, o país começou a entrar na controvérsia política.

Em 1939, apesar do fato da aeronave atender todos os requisitos técnicos e do piloto da Força Aérea Turca ter dado um relatório positivo, os aviões foram rejeitados.

Um dos aviões em Eskisehir sofreu um acidente durante a aterrisagem devido à área estreita do campo. As autoridades da Força Aérea da Turquia alegando que a queda foi devido a um erro técnico desistiram da compra.

Demirağ, apesar de escrever repetidamente cartas a todas as autoridades durante o período e entrar com uma ação judicial, não recebeu resultados. Um projeto importante que teve o futuro do país afetado foi vítima das controvérsias políticas e ambições.

A Iniciativa Turca e o Projeto de Desenvolvimento de Treinamento Básico para Aviões (HÜRKUŞ)

Hoje, muitos projetos de defesa nacional são realizados sob a influência dos líderes que gerenciam o país e com o apoio das instituições relevantes. A produção do protótipo de HÜRKÜŞ foi concluída. Aliás, continuam os trabalhos do nosso primeiro avião nacional, que voará nos céus em 2023.

Dois protótipos de aeronaves foram produzidos a partir do primeiro avião turco, HÜRKUŞ, recebendo o certificado de tipo da Autoridade Europeia de Aviação Civil.

O HÜRKUŞ (Iniciativa Turca e Projeto de Desenvolvimento de Treinamento Básico para aviao) foi projetado para ser completamente original em resposta ao desenvolvimento das necessidades de voo educacional da aviação civil e militar. Além disso, a versão do HÜRKUŞ-C continua com as suas atividades em operação.

Projeto Nacional de Aeronaves de Combate

Com o Projeto Nacional de Aviões de Combate, o Comando da Aeronáutica depois de 2030, apresentará o modelo com design original para suprir as necessidades internas das aeronaves de combate no país. Os trabalhos estão sendo realizados em um projeto original para o país, em que os produtos industriais nacionais são usados no nível máximo.

Está previsto que o primeiro vôo seja feito em 2023 dentro deste importante projeto, que continua com os seus trabalhos.

O Projeto F-35 de Aeronave de Ataque Conjunto

A nova geração de aviões de combate F-35 de quinta geração, com piloto único e um motor, com multi-função, capaz de voar com baixa visibilidade / design e produção de aviões de combate, faz parte de um consórcio internacional liderado pelos EUA e acordado pelos países (Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Turquia, Holanda, Canadá, Austrália Noruega e Dinamarca).

A Turquia atrai a atenção com seu projeto de aquisição de 100 aeronaves. A Turquia, que é parceira do projeto dos F-35 também teve a entrega da primeira aeronave na cerimônia que foi realizada no Texas-Fort Worth em 21 de Junho no âmbito deste Projeto.

Atualmente nossos pilotos começaram a treinar nos EUA e começarão a usar as aeronaves após a conclusão do treinamento necessário.

Os F-35 da Turquia terão sua fuselagem e motores com manutenção pesada e base de reparo na região da Europa. Uma das partes estruturais mais complexas da aeronave F-35, a "Fuselagem Média" é produzido somente nos Estados Unidos e em nosso país.

Também produzimos os Componentes Compostos do F-35 A/B/C, os Fundos Metálicos e o Air Bag do F-35A e o Pylon Transportador de Carga Ar-Solo do F-35 A/B/C.

 O kit de Direção Sensível do (HGK) e do TUBITAK SAGE desenvolvido por Roketsan que produz o SOM-J nos F-35 está sendo feito de forma integrada pelo nosso país.

Enquanto todos os projetos que o Estado apoia conseguem prosperar, os projetos que o Estado apoiou no passado foram obstaculizados e não conseguiram sobreviver.

Continuaremos contando as histórias de outros projetos de defesa bem-sucedidos no próximo artigo.



Notícias relacionadas