A restruturação das instituições económicas

Uma perspetiva sobre a economia mundial.

A restruturação das instituições económicas

A Turquia está no dealbar de uma nova era, com a ratificação da transição para o sistema de governo presidencialista, decorrente da escolha feita no referendo de 16 de abril. Sem dúvida, este novo sistema irá trazer a mudança e a transformação, e será claramente a força por detrás do processo de reestruturação da Turquia. Este novo sistema, que irá conduzir à transformação do mecanismo político, está também associado à reestruturação da economia em muitas áreas.

Com o objetivo de escrever uma nova história de sucesso na economia, é necessária uma nova linha de rumo e a reconstrução das instituições para que esta linha de rumo se transforme em realidade.

Uma cooperação eficaz entre as instituições económicas será garantida com a reestruturação. Uma das questões mais importantes que têm que ser abordadas neste processo, é o facto da relação entre vários ministérios e instituições económicas ter que ser baseada em fundamentos sólidos. Com esta reestruturação, espera-se que os ministérios possam trabalhar em uníssono, garantido assim a coordenação entre as instituições económicas.

Ao reestruturar as instituições económicas, o funcionamento destas instituições irá ser redefinido. Por exemplo, uma das questões que preocupou a Turquia durante muitos anos, foi a administração com múltiplas lideranças e os obstáculos burocráticos colocados por estas instituições. A reestruturação institucional pode fornecer soluções eficazes para a remoção da administração com múltiplas lideranças. Soluções bem desenhadas podem criar um sistema administrativo mais eficiente e mais bem sucedido. Adicionalmente, a finalização mais rápida das tarefas e a maior produtividade, poderão ser atingidas se a burocracia entre instituições for reduzida neste processo.

É sempre mais fácil para uma economia atingir os seus objetivos, quando as instituições são reestruturadas. Para a Turquia em particular, e tendo em conta os seus objetivos económicos para 2 023 e 2 053, a necessidade de reestruturação é amplamente óbvia.

A Turquia, enquanto país em desenvolvimento, tem que agir rapidamente e ser mais ativa, para ser capaz de mobilizar a sua economia nas circunstâncias existentes. É muito importante que a Turquia reestruture as suas instituições económicas, para que possa ascender ao estatuto de país desenvolvido e aumente o seu rendimento per capita.

Ainda mais importante, a reestruturação das instituições durante este período tem um papel ainda mais crítico para evitar que o país fique preso no grupo de países com rendimentos médios, e possa ascender ao clube das economias de alto rendimento. Por outro lado, durante este período em que o equilíbrio do poder económico mundial se move na direção das economias emergentes como a Turquia, a reestruturação das instituições vai também ajudar o país a aproveitar as oportunidades que aparecem, através da transformação e mudança institucional.

Espera-se que a Turquia seja capaz de fazer a sua institucionalização de maneira mais eficiente, através de reformas e transformações estruturais até 2 019, numa altura em que o país não tem tempo a perder na aceleração da recuperação económica. Tudo isto vai dar origem a instituições económicas mais ativas e funcionais no país.

As instituições que passaram por reformas estruturais, irão conduzir a um ambiente de confiança para os investidores, ao remover as incertezas sobre a economia, ao mesmo tempo que promovem mais investimentos. A reestruturação institucional tornou-se uma necessidade para a Turquia, que quer atingir taxas de crescimento mais rápidas e assumir uma postura competitiva nos mercados globais, que permitam que o país se torne num destino frequente dos investidores estrangeiros.

Em resumo, o sistema presidencialista de governo irá trazer uma nova ordem política, em que serão abolidos muitos dos obstáculos que se colocam perante a economia turca. Os problemas que foram identificados e as soluções que foram encontradas, poderão agora ser implementadas. Esta nova estrutura institucional, que terá impacto no processo de tomada de decisões da Turquia, tornará mais fácil o alcançar dos objetivos definidos para a economia.

Se forem tomados passos concretos para garantir a transformação institucional – algo que é uma das necessidades básicas da economia do país no período que se avizinha – tudo aponta para que a economia turca entre num caminho positivo.



Notícias relacionadas