A União Europeia apela à Rússia a "libertação imediata" dos soldados ucranianos

No final de novembro de 2018, navios de guerra russos interceptaram navios de guerra ucranianos com armas por suposta infiltração em águas territoriais russas.

A União Europeia apela à Rússia a "libertação imediata" dos soldados ucranianos

A União Europeia (UE) fez um anúncio sobre os soldados detidos pela Rússia: "Solicitamos a libertação imediata e incondicional dos 24 soldados ucranianos detidos pela Rússia, sem restrições à sua comunicação com o consulado e sua representação legal".

A UE reiterou o seu apelo à Rússia para permitir uma passagem segura no Estreito de Kerch e no Mar de Azov.

No final de novembro de 2018, navios de guerra russos interceptaram os navios de guerra ucranianos com armas por suposta infiltração em águas territoriais russas e a tripulação de três navios militares foi presa.

O Tribunal de Moscou Lefortovsky decidiu prorrogar até 24 de abril a prisão de 4 dos 24 militares dos navios de guerra ucranianos que a Rússia mantinha perto das margens do Estreito de Kerch, no Mar Negro.

O tribunal russo na Criméia deliberou a favor da detenção dos dois soldados por dois meses e depois transferiu-os para a prisão em Moscou.



Notícias relacionadas