• Galeria de Vídeos

ONU alerta para a "pior tragédia humanitária do século" em Idlib

O Subsecretário-Geral da ONU para Assuntos Humanitários, Mark Lowcook, disse que cerca de 800 mil deixarão suas casas como resultado de uma ofensiva.

ONU alerta para a "pior tragédia humanitária do século" em Idlib

O Subsecretário-Geral da ONU para Assuntos Humanitários, Mark Lowcook, em sua coletiva de imprensa organizada no escritório da ONU em Genebra, disse:

"Tem de haver maneiras de resolver este problema sem que Idlib se torne a pior catástrofe humanitária com a maior perda de vidas humanas no século XXI. Todos nós colocamos em alerta. Quero enfatizar o quão perigoso é esse momento para o povo de Idlib".

Lowcook relatou que em Idlib cerca de 4 milhões de civis, e dois milhões dessas pessoas precisam de ajuda humanitária, e disse que as perdas civis na cidade não serão aceitas, e que eles têm planos detalhados contra uma possível onda de imigrantes em Idlib.

Ele indicou que quase 800 mil deixarão suas casas como resultado de uma ofensiva, e que o Programa Mundial de Alimentos tem uma reserva alimentar de uma semana para 850 mil civis.

O coordenador de emergência disse que eles haviam negociado com o regime sírio e o Crescente Vermelho Sírio a possibilidade dos civis se deslocarem em grande número em múltiplas direções.

Por outro lado, o porta-voz do secretário-geral da ONU, Stephane Dujarric, em sua entrevista coletiva diária, esclareceu que eles estão preocupados com a situação e a segurança de dois milhões de civis em Idlib.

Dujarric disse que um grande número de pessoas morreram nos últimos dias em Idlib e Hama devido a ataques aéreos, e que mais de 30 mil pessoas foram deslocadas entre 1 e 9 de setembro em áreas sujeitas a ataques aéreos.

Dujarric disse que os deslocados chegaram às áreas próximas à fronteira turca, no norte de Idlib, e que a ajuda humanitária continua sendo enviada para a área por meio da Turquia.

Dujarric exortou todas as partes na Síria a tomar todas as medidas necessárias para proteger civis e infra-estrutura civil.



Notícias relacionadas