Primeiro ministro iraquiano reitera a sua rejeição ao referendo de 25 de setembro

"O referendo de independência também está contra as leis da Administração Regional Curda do Iraque", disse o primeiro-ministro iraquiano Haider Al-Abadi

Primeiro ministro iraquiano reitera a sua rejeição ao referendo de 25 de setembro

O primeiro-ministro iraquiano, Haider Al-Abadi, reiterou que rejeitam o referendo sobre a independência a ser realizado pela Administração Regional Curda do Iraque em 25 de setembro e enfatizou que não permitirão que o país seja dividido.

Al-Abadi disse que se referiam à importância de resolver através do diálogo os problemas com a Administração Regional Curda do Iraque durante uma conferência de imprensa na capital Bagdá após a reunião do Conselho de Ministros.

"O Conselho de Ministros reiterou que o referendo na Administração Regional Curda do Iraque é ilegal", afirmou.

"É inaceitável impor unilateralmente um fato consumado e uma força. O referendo também está contra as leis da Administração Regional Curda do Iraque ", disse Al-Abadi, que convidou os líderes Curdos a Bagdá para dialogar.

"Depois de 2003, o povo curdo teve ganhos que não conseguiram durante longos séculos. Este é o direito mais natural deles ", disse.

"Perderão todas as suas conquistas quando as etapas tomadas para celebrar o referendo forem realizadas. Aviso que esses passos irão causar uma nova instigação e isso prejudicará a todos. Respeito a esperança dos meus irmãos curdos, mas nunca permitiremos que o país seja dividido. Convoco a população curda a boicotar este referendo, porque nunca será favorável a ele. O referendo causará grandes riscos no Iraque e na região ", afirmou.



Notícias relacionadas