Palestina condena Israel

A alocação de 1.200 hectares para a expansão do assentamento judaico em Belém foi condenada pelo Ministério das Relações Exteriores palestino.

Palestina condena Israel

O Ministério das Relações Exteriores da Palestina condenou a alocação de 1.200 hectares de terra para a expansão da colônia judaica de Afrat na cidade de Belém, na Cisjordânia, sob a ocupação do governo israelense.

Na declaração escrita feita pelo ministério, foi apontado: "O governo israelense é competente contra o tempo na questão de originar novos eventos que não têm retorno".

No comunicado, assinalou-se que o referido projeto é um passo "perigoso" e que foi feito um apelo ao Conselho de Segurança da ONU para que faça uma intervenção urgente, cumpra suas responsabilidades e interrompa os projetos de residência relacionados à extensão da residência judaica. Afrat.

Na notícia que está no jornal israelense Haaretz, foi relatado que, para a ampliação da residência dos judeus africanos no sul de Belém, o governo de Israel atribuiu no mês passado uma área de 1200 hectares ao Ministério de Obras Públicas.

Foi relatado que, no âmbito do projeto de expansão, o novo bairro que será formado na sede da residência judaica Afrat estará ligado à residência judaica Gush Etzion e, assim, a parte sul de Belém será totalmente sitiada pelas colônias.



Notícias relacionadas