Conselho de Segurança da ONU rejeita resolução russa sobre a Síria

O Conselho de Segurança convoca reunião de emergência a pedido da Rússia após os ataques aéreos liderados pelos EUA na Síria.

Conselho de Segurança da ONU rejeita resolução russa sobre a Síria

O Conselho de Segurança da ONU rejeitou no sábado a resolução russa condenando os ataques aéreos conjuntos dos EUA, França e Reino Unido contra a Síria.

O Conselho de Segurança convocou uma reunião de emergência a pedido da Rússia, que condenou ataques aéreos liderados pelos EUA contra a Síria durante a noite.

A resolução foi rejeitada porque não conseguiu 9 votos a favor do conselho de 15 membros.

A China e a Bolívia votaram a favor da resolução, enquanto os EUA, o Reino Unido, a França, a Suécia, a Polônia, a Costa do Marfim, o Kuwait e a Holanda se opuseram a ela.

Peru, Cazaquistão, Etiópia e Guiné Equatorial se abstiveram.

Os EUA, o Reino Unido e a França lançaram ataques aéreos às supostas instalações de armas químicas do regime de Assad na Síria, no sábado.

Os ataques ocorreram depois que o regime de Assad foi acusado de realizar um ataque químico na Síria, que matou 78 civis e feriu centenas de outros.

Dirigindo-se ao Conselho de Segurança, Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU, disse que a Rússia usou o veto para “matar” o Mecanismo de Investigação Conjunta, a ferramenta para descobrir quem usava armas químicas.

"O veto da Rússia foi a luz verde para o regime de Assad usar essas armas mais bárbaras contra o povo sírio, em total violação da lei internacional", disse ela.

Vassily Nebenzia, embaixador da Rússia na ONU, condenou os ataques aéreos como "vandalismo nas relações internacionais".

“A Rússia condena o ataque contra a Síria. As ações dos EUA na Síria tornam ainda pior a atual situação destrutiva”, acrescentou Nebenzia.



Notícias relacionadas