Crise da Catalunha: Sánchez só prevê um referendo para um novo Estatuto, não para a independência

Para o chefe do Executivo, o voto que deve ser na Catalunha "não pode ser por independência ou autodeterminação, mas por um fortalecimento do autogoverno

Crise da Catalunha: Sánchez só prevê um referendo para um novo Estatuto, não para a independência

Madrid, 03 de setembro (EFE) .- O primeiro-ministro, Pedro Sanchez, só prevê que possa haver um referendo na Catalunha para um novo Estatuto e melhorar o seu autogoverno, mas não por  autodeterminação.

Sanchez, em entrevista na SER, sublinhou a necessidade de diálogo e assegurou que o Governo não vai subir em comissões bilaterais que tomaram a Generalitat diga o que diga amanhã em uma conferência o presidente da Generalitat, Quim Torra.

"A única coisa que espero é que esteja certo, que mostre compromisso", disse Sánchez, que não tem em mente agora aplicar novamente o artigo 155 da Constituição.

Mas ressaltou que é "um instrumento perfeitamente constitucional e legítimo para voltar para a Catalunha na lei, o Estatuto e a Constituição" e que, se necessário voltar a utilizá-lo "o Governo da Espanha vai agir."

Para o chefe do executivo, o voto deve ser na Catalunha "não pode ser pela independência e autodeterminação, mas por um reforço do autogoverno, que é o que mais assegura majoritariamente a aglutinação do conjunto da sociedade catalã".



Notícias relacionadas