Mesquita fechada na Áustria reabre

"Ficamos chocados quando o governo austríaco decidiu fechar as mesquitas", disse o chefe da associação de mesquitas.

Mesquita fechada na Áustria reabre

A mesquita em Viena, que foi fechada pelo governo austríaco, reabriu após a associação da mesquita superar algumas deficiências.

"Ficamos chocados quando o governo austríaco decidiu fechar as mesquitas", disse à Agência Anadolu o presidente da Associação da Mesquita de Viena-Alperenler, Haci Yagci.

"Nossa mesquita está no mesmo endereço desde 1992", disse Yagci, acrescentando: "Isso não foi mencionado com nenhum evento negativo até agora, mas houve notícias infundadas sobre nossa associação na imprensa".

"Por muitos anos, temos muito boas relações com os sacerdotes na igreja, exatamente em frente à nossa mesquita, e temos uma plataforma para nos reunirmos com o padre para discutir o problema de nossa região."

Mesquita com o novo nome foi aberta na terça-feira para o culto, disse Yagci.

"Somos membros da Autoridade Religiosa Islâmica da Áustria e pagamos nossas taxas de filiação. Superamos nossas deficiências e agora nossa congregação pode vir e adorar aqui", acrescentou Yagci.

O chanceler austríaco Sebastian Kurz anunciou na semana passada sua decisão de fechar sete mesquitas e expulsar 40 imãs como parte de uma repressão ao chamado "Islã político".

Sob a ação, sete mesquitas serão fechadas - uma delas pertencente à Associação Cultural Turco-Islâmica (ATIB).

Em 2015, quando Kurz era ministro da Europa, integração e relações exteriores, ele apoiou a “lei do Islã” (Islamgesetz) da Áustria - uma legislação que, entre outras coisas, proibia o financiamento estrangeiro de mesquitas e imãs. A controversa lei pretendia desenvolver um islamismo de “caráter europeu”, segundo Kurz.

"Agimos de forma decisiva e ativa contra os desenvolvimentos indesejáveis ​​e a formação de sociedades paralelas - e continuaremos a fazê-lo se houver violações da lei sobre o Islã", escreveu Kurz no Twitter.



Notícias relacionadas