Protestos em Londres após incêndio em Grenfell

A primeira ministra Theresa May liberou 5 milhões de libras esterlinas para as vítimas, mas enfrenta multidões hostis em Londres.

Protestos em Londres após incêndio em Grenfell

A primeira-ministra britânica, Theresa May, foi castigada na sexta-feira por pessoas iradas por causa do incêndio na Torre Grenfell, que reivindicou dúzias de vidas esta semana.

May enfrentou críticas anteriores por não ter se encontrado com os parentes de luto e outros residentes durante uma visita ao local da tragédia a oeste de Londres na quinta-feira.

A líder inglesa, que anunciou anteriormente um pacote de ajuda de emergência de 5 milhões de libras esterlinas (US$ 6,4 milhões) para aqueles que perderam tudo no incêndio, enfrentou protestos hostis quando saia de uma igreja próxima ao local que está sendo usada para abrigar os antigos residentes de Grenfell.

A polícia levou a primeira-ministra britânica para um carro de espera em meio a gritos dos manifestantes que diziam "covarde".

Em outros lugares, mais de 300 pessoas realizaram uma manifestação na frente da Câmara Municipal de Kensington, pedindo respostas sobre o incêndio de quarta-feira, que destruiu o prédio e custou pelo menos 30 vidas.

Em meio a cenas tensas, um grupo de manifestantes furiosos entrou brevemente na prefeitura quando a demanda deles de falar com um funcionário não foi atendida.

O protesto, organizado pelas redes sociais por um grupo de pessoas que perderam seus entes queridos na catástrofe, foi realizado em meio a forte presença policial. Pelo menos um manifestante foi detido.

Um protesto separado foi realizado em Westminster, no centro de Londres, na noite de sexta-feira.

A causa do incêndio ainda é desconhecida.

Fonte: AA



Notícias relacionadas