Maduro: Venezuela vai vender todo o seu petróleo em petros, a criptomoeda criada pelo governo

O presidente venezuelano disse que o processo de conversão será gradual em 2019 para parar de usar o dólar.

Maduro: Venezuela vai vender todo o seu petróleo em petros, a criptomoeda criada pelo governo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, informou nesta quinta-feira que o país começará a vender toda a sua produção de petróleo em petros, a criptomoeda criada pelo governo venezuelano.

A conversão será feita progressivamente durante 2019, o presidente especificou em declarações à imprensa de Moscou.

"Progressivamente, vamos vender toda a nossa produção de petróleo em petros. Em 2019 temos um programa, um cronograma para que toda a produção de petróleo da Venezuela seja vendida em petros e continue a nos libertar de uma moeda que a elite de Washington usa para chantagear, atacar os povos do mundo, para causar danos econômicos", disse Maduro.

Segundo o governo venezuelano, a comercialização de petróleo bruto e seus derivados precisa de uma cesta de moedas diferente para que o mundo seja multipolar nos campos monetário, energético e econômico.

Maduro disse que o dólar tem sido usado como uma ferramenta para "perseguir" a Venezuela, Cuba, Irã e Rússia financeiramente.

Por essa razão, o governo Chávez destacou a necessidade de criar "um sistema monetário equilibrado, justo e diversificado, onde o dólar entra como moeda de troca, mas não é usado como um mecanismo político".

Em seus comentários durante sua visita oficial à Rússia, Maduro também reafirmou a intenção da Venezuela de continuar estendendo o acordo de corte entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e vários parceiros externos para estabilizar o mercado.

Na última terça-feira, o presidente Nicolás Maduro chegou a Moscou para uma visita oficial. Na quarta-feira, ele se reuniu com seu colega russo, Vladimir Putin, para discutir a cooperação militar, as relações comerciais e a possível assistência financeira da Rússia à Venezuela.

(Agência Anadolu)



Notícias relacionadas