A Argentina acredita que o G20 foi "histórico" ao abandonar acordos que "ninguém esperava"

O presidente argentino, Mauricio Macri, organizou uma coletiva de imprensa em Buenos Aires para fazer um balanço da reunião

A Argentina acredita que o G20 foi "histórico" ao abandonar acordos que "ninguém esperava"

Buenos Aires (EFE) .- A presidente Argentina, Mauricio Macri disse que, embora alguns líderes do G20 tinha "dúvidas" de como ele iria passar a cúpula do grupo, que recebeu neste fim de semana, finalmente, foram dias "históricos" Isso culminou com um acordo que "ninguém esperava".

"Conseguimos ser uma presidência que concilia um e obtenção de uma declaração de que o progresso em questões de cuidados de linha referentes às alterações climáticas e para continuar a procurar formas de aprofundar o comércio", disse o presidente em uma conferência de imprensa em Buenos Aires destinada a fazer um balanço da reunião.

Os presidentes das 20 maiores economias desenvolvidas e os países em desenvolvimento, além dos países convidados e representantes de organizações internacionais, concordaram com um documento que, entre outras coisas, expressou a necessidade de revitalizar o comércio internacional e, a sós com a dissidência Donald Trump (EUA), para apoiar o Acordo de Paris contra as mudanças climáticas.

Em meio às tensões comerciais entre EUA e China, pelas políticas protecionistas dos EUA e pela imposição de tarifas, Macri observou que os líderes assinaram um acordo que "ninguém esperava" porque já havia fracassado no G7 e em reuniões anteriores.

"Está claro que os países que mais avançaram nos últimos 30 anos são os que mais comercializaram", disse ele.

Macri ficou satisfeito com o fato de que, diante de "dúvidas" expressas antes da nomeação de Buenos Aires por líderes como o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), esses dias têm sido "históricos".



Notícias relacionadas