Chuvas no Peru e no Chile deixam pelo menos 11 mortos

O governo peruano declarou a emergência em 17 distritos da região de Tacna, perto da fronteira com o Chile, onde as chuvas também causaram deslizamentos de terra

Chuvas no Peru e no Chile deixam pelo menos 11 mortos

AA - Pelo menos cinco pessoas morreram devido a deslizamentos de terra que ocorreram em duas cidades da região de Arequipa, no sul do Peru, causada pelas chuvas, informou a mídia local.

Autoridades peruanas informaram que uma primeira avalanche de lama e pedras caiu na cidade de Aplão, onde três pessoas morreram.

Outro deslizamento ocorreu em uma mina no município de Rio Grande, onde morreram dois mineiros, segundo fontes oficiais.

O governo peruano relatado por um decreto publicado no diário oficial El Peruano, que declarou estado de emergência em 17 distritos da região de Tacna, sul do país.

Com a medida, que terá duração de 60 dias, as autoridades priorizarão as populações mais afetadas.

Deslizamentos de terra ocorreram no Peru, perto da fronteira com o Chile, onde o presidente Sebastián Piñera disse que seis pessoas morreram devido às chuvas que definiram como o "inverno boliviano".

"Os efeitos mais importantes deste inverno boliviano e as extraordinárias chuvas foram nas três regiões do norte", disse Piñera na noite de sexta-feira passada.

O presidente chileno acrescentou que a conectividade foi recuperada na área e que há 75 casas destruídas. "Houve danos à agricultura, não só com a inundação de hectares, mas os danos aos canais de distribuição e falta de abastecimento de água para mais de 15.000 cabeças de gado", disse.

O presidente informou que as operações em três minas foram suspensas preventivamente e que o governo tomará medidas emergenciais imediatas e lançará um plano de recuperação para as três regiões.



Notícias relacionadas