O genoma humano pode ter até 20% menos genes do que se pensava

A pesquisa é resultado da colaboração de vários centros, liderados por Michael Tress, da Unidade de Bioinformática do CNIO.

O genoma humano pode ter até 20% menos genes do que se pensava

Madri (EFE) .- Uma equipe internacional de pesquisadores confirmou que o genoma humano pode conter até 20% menos genes, o que poderia ser um fator determinante na biomedicina e de vital importância para a investigação de um grande número de doenças, como doenças cardiovasculares ou câncer.

Especificamente, tem-se mostrado que até 20% daqueles identificados como codificação (aqueles que produzem proteínas que permitem o funcionamento dos seres vivos) os genes podem não ter as características típicas de genes não codificantes ou pseudogenes (não geradores de proteínas).

No geral, os pesquisadores estimam que os seres humanos poderiam ter 19.000 genes codificadores, 3.000 a menos do que se baseiam as principais bases de dados que existem no genoma humano.

O trabalho é publicado em Nucleic Acids Research e "põe em causa em julgamento", 15 anos após o sequenciamento do genoma humano, o número real de genes contidos em células humanas, diz o Centro Nacional de Pesquisa do Câncer (CNIO) em um nota de imprensa.

A pesquisa é o resultado de uma colaboração de vários centros, liderados por Michael Tress, da Unidade de Bioinformática do CNIO.


Etiquetas: genoma , genes , biomedicina , ciência

Notícias relacionadas