Maduro ameaça tomar decisões férreas para aqueles que continuam em "guerra econômica"

"Para quem quiser continuar fazendo parte da guerra econômica teremos que tomar decisões constitucionais, rígidas e definitivas, pelo bem de todos, pelas ruins já as conhecem"

Maduro ameaça tomar decisões férreas para aqueles que continuam em "guerra econômica"

Caracas (EFE) .- O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro advertiu que tomará  decisões férreas contra aqueles que seguem "incorporados na guerra econômica" que assegura que fazem os empreendedores, a oposição e os Estados Unidos, e que atribui a crise do país.

"Quem quer trabalhar para a Venezuela, vai ratificar o compromisso e iremos fazê-lo, quem queira seguir incorporados na guerra económica, teremos de tomar decisões constitucionais, ferréas e definitivas, para o bem de todos, pelas más já as conhecem ", disse em uma transmissão através do canal estatal VTV.

O líder venezuelano disse que seu governo está ciente dos "fatores" de "guerra econômica" e que não iria abalar o conjunto para tomar decisões radicais.

Foi insistente ao fazer uma chamada para os empresários e produtores de "respeitar as regras" de distribuição de produtos e preços regulados, muitos dos quais já estão a um custo até 10 vezes maior do que o fixado pelo Governo.

"Respeitem o país, amem o país, já faço um chamado para todos os empresários do campo venezuelano vamos respeitar o nosso país. A única coisa que vocês têm é a Venezuela", indicou.

Também prometeu que o país petrolífero se tornará "uma potência agrícola e exportadora" nos próximos seis anos.



Notícias relacionadas