Presidente da Argentina prepara forte reestruturação do governo

A reestruturação, que na prática significa cortar o número de portfólios ministeriais para mais da metade, será realizada, na maioria dos casos, pela absorção de alguns ministérios por outros.

Presidente da Argentina prepara forte reestruturação do governo

Buenos Aires (EFE) - O presidente argentino, Mauricio Macri, prepara uma reestruturação do governo dura, incluindo o corte de pelo menos 10 ministérios, como parte de uma tentativa desesperada de salvar o país de um desastre econômico e social.

A reestruturação, que na prática significa cortar o número de portfólios ministeriais para mais da metade, será realizada, na maioria dos casos, pela absorção de alguns ministérios por outros.

Ele também inclui a eliminação das figuras dos adjuntos do Gabinete de Ministros (Gustavo Lopetegui e Mario Quintana), salvo alterações de último minuto - continuará a ser o cabeça dela, Marcos Peña, indicaram fontes políticas consultadas pela Efe.

O governo argentino é atualmente composto por 22 membros, incluindo o chefe do estado e a vice-presidente, Gabriela Michetti, que por sua vez é a presidente do Senado.

A desvalorização da moeda na quinta-feira foi de 102% (acumulado até agora este ano) em relação ao dólar e 96% sob o euro e a inflação anual oficial (julho a julho) e 31,2% 19,2% acumulado até agora este ano.

O chefe do bloco de deputados kirchnerista Frente para a Vitória, deputado Agustín Rossi, pediu hoje Macri para colocar a economia "baseada no trabalho e não no FMI" e parar aqueles que especulam.

Em uma cerimônia na cidade de Lanus, na periferia de Buenos Aires, Rossi disse: "Macri tem que decidir em favor dos que lutam todos os dias para chegar à frente de quem produz, quem trabalha e parar de beneficiar aqueles que especulam". EFE



Notícias relacionadas